Nubank (ROXO34) pode voltar à Argentina em cenário de melhora da economia, diz Cristina Junqueira

O Nubank (ROXO34), banco digital brasileiro, não descarta completamente a possibilidade voltar a operar na Argentina. Contudo, o retorno ao país depende de uma melhora das condições macroeconômicas do país.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-2-1.png

As informações vieram de declarações da cofundadora e Chief Growth Officer (CGO) do Nubank, Cristina Junqueira, em entrevista ao “La Estrategia del Día”, podcast da Bloomberg Línea do México.

“Sim, é um mercado muito grande, com muitas pessoas que também, acredito, gostariam de ter mais opções e melhores serviços, mas é um país complexo para navegar. Gostaríamos de ver o ambiente macro mais estabilizado para pensar nisso”, declarou a executiva.

Como braço-direito do CEO global, David Vélez, Junqueira destacou especialmente a questão da inflação e a necessidade de níveis de preços mais justos.

Além disso, também chamou atenção para a importância da estabilidade nas relações entre as instituições-chave do país – como o banco central e o Ministério da Fazenda.

O Nubank chegou a entrar na Argentina em meados de 2019, com a abertura de um escritório em Buenos Aires com 12 funcionários.

Contudo, pouco tempo depois a decisão foi de fechar as operações no país para focar suas energias em crescer no Brasil e outros países da América Latina, posteriormente – como México e Colômbia.

Atualmente a Argentina, onde operam outros concorrentes como Ualá, Mercado Pago, Brubank e outros, tem um dos índices de crédito em relação ao PIB mais baixos do mundo.

Além disso, em meio a uma inflação de três dígitos, o país possui empréstimos em pesos para o setor privado que já representam cerca de 6% do PIB. Para efeito de comparação, esse patamar foi de 44% na Colômbia em 2022.

“Há muitas mudanças agora na Argentina. Espero que vá para um caminho melhor e que a população tenha mais estabilidade, porque isso é um custo muito, muito grande para a população. Mas o tempo dirá”, disse Junqueira.

A cofundadora do Nubank ainda acrescentou que embora a Argentina apresente desafios, a porta não está fechada definitivamente, e a empresa poderia reconsiderar a possibilidade de operar novamente.

“Sim, é possível. Não é impossível”, afirmou Junqueira, deixando aberta a possibilidade de um retorno futuro.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Últimos números do Nubank e desempenho das ações

Conforme os números mais recentes do banco, no fim do terceiro trimestre de 2023, o Nubank contava com 89 milhões de clientes – contando com um crescimento de mais de 18 milhões de clientes em uma janela de 12 meses até outubro.

Além disso, a fintech divulgou uma receita recorde de US$ 2 bilhões no terceiro trimestre de 2023, com lucro líquido de US$ 303 milhões.

Com isso, o lucro do Nubank irá ultrapassar o patamar de US$ 1 bilhão em 2023.

O valor de mercado da companhia beira os US$ 50 bilhões, em meio à alta de ações da companhia em Nova York, na NYSE, onde é listada.

Foram 127% de alta nas ações do Nubank no acumulado dos últimos 12 meses.

A cotação atual dos papéis do Nubank beira os US$ 9, se aproximando do patamar do IPO da companhia, em meados de dezembro de 2021.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião