BofA recomenda compra da Méliuz (CASH3), apesar do prejuízo no 3T21

BofA recomenda compra da Méliuz (CASH3), apesar do prejuízo no 3T21
Méliuz (CASH3). Foto: Reprodução balanço 3T21

O Bank of America (BofA) decidiu elevar sua recomendação de neutra para compra para a Méliuz (CASH3), mesmo após a companhia de cashbacks anotar um prejuízo de R$ 2,95 milhões no terceiro trimestre, revertendo lucro de R$ 4,733 milhões do mesmo período de 2020.

Por outro lado, o BofA reduziu o preço-alvo para a ação do Méliuz (CASH3) de R$ 9 para R$ 7,20, com a piora no cenário macroeconômico. No fechamento desta quinta (18), as ações da Méliuz fecharam em alta de 10,22%, cotadas a R$ 4,10.

Em relatório assinado por Fred Mendes, Mirela Oliveira e Gustavo Tiseo, o banco explica que a companhia viu seu número de funcionários crescer de 140 em seu IPO, realizado em novembro de 2020, para 800 ao final de setembro de 2021.

O BofA acredita que “essa rápida expansão traz diversos desafios, principalmente relacionados à sua cultura.” E pondera: “Porém, a maior parte da expansão já aconteceu e hoje vários de seus novos funcionários estão trabalhando em novos produtos que ainda não geram receita. Além disso, damos as boas-vindas ao curto, mas forte histórico de execução da Meliuz, juntamente com uma avaliação atraente, levando à nossa classificação de compra de neutra com um novo preço-alvo de R$ 7,20.”

Os analistas veem o Meliuz mais forte hoje do que em seu IPO, “com um histórico de execução rápido, mas forte, junto com M&A e mais talento adicionado à equipe. Acreditamos que a Meliuz se moveu na direção certa ao lançar seu próprio cartão.”

Méliuz tem prejuízo de R$ 2,95 mi no 3T21

A Méliuz registrou um prejuízo de R$ 2,95 milhões entre julho e setembro, revertendo lucro de R$ 4,733 milhões do mesmo período de 2020.

No terceiro trimestre de 2021, o Ebitda foi de R$ 9,3 milhões negativos, majoritariamente explicado pelo aumento das despesas na linha de pessoal, o que está em linha com a estratégia da empresa, informou a Méliuz no comunicado que acompanha o balanço, cujo extrato não traz o Ebitda do terceiro trimestre de 2020 para efeito de comparação. No segundo trimestre de 2021, contudo, o Ebitda foi de R$ 7,2 milhões.

O Ebitda ajustado consolidado de julho a setembro deste ano ficou negativo em R$ 9,9 milhões. A empresa não divulgou o montante apurado em outros trimestres.

A receita líquida da Méliuz subiu para R$ 58,7 milhões, aumento de 8% na comparação imediata com o segundo trimestre do ano, quando a empresa alcançou R$ 54,5 milhões, crescimento de 129% contra o mesmo período do ano anterior.

Com informações do Estadão Conteúdo

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!