Banco do Brasil (BBAS3), Itaú (ITUB4) e Copel (CPLE6) pagarão JCP: veja as 5 notícias mais lidas na semana

A semana foi recheada de anúncios de dividendos e juros sobre capital próprio (JCP). Em meio à temporada de balanços, muitas empresas aprovam o pagamento de proventos, e o Banco do Brasil (BBAS3) foi uma delas.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png

Destaque entre as notícias mais lidas da semana, o Banco do Brasil aprovou a o pagamento de R$ 986.103.079,28 em JCP, relativos ao segundo trimestre desse ano.

Além do banco estatal, os leitores também ficaram de olho no Itaú Unibanco (ITUB3; ITUB4) e na Copel (CPLE6), que aprovaram o pagamento de juros sobre o capital próprio.

Durante a semana também foram bastante acessadas as notícias sobre os dividendos da BB Seguridade (BBSE3), e sobre a oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da Raízen (RAIZ4), que levantou R$ R$ 6,9 bilhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Veja abaixo o resumo das principais notícias da semana e acesse os links para ler o texto completo! Tenha um bom final de semana!

1. BB Seguridade (BBSE3) pagará dividendos

Durante a semana, a notícia mais lida foi sobre os dividendos da BB Seguridade.

Na última segunda-feira (2), a companhia aprovou o pagamento de R$ 1,04 bilhão em dividendos intercalares referentes ao resultado do primeiro semestre desse ano, adicionados dos dividendos prescritos referentes ao segundo trimestre de 2017.

Esse valor corresponde a R$ 0,52087499717 por ação. Esses dividendos serão pagos no dia 23 deste mês, mas apenas os investidores que tiverem ações da BB Seguridade ao final do pregão do dia 11 de agosto,  terão direito de recebê-los.

Saiba mais sobre os dividendos da BB Seguridade BB Seguridade (BBSE3) irá pagar R$ 1 bilhão em dividendos

2. Banco do Brasil (BBAS3) pagará JCP

O Banco do Brasil (BBAS3) também aprovou o pagamento de proventos, e ficou entre as notícias mais lidas da semana no Suno Notícias.

O banco estatal pagará R$ 986.103.079,28  em JCP relativos ao segundo trimestre do ano.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2021/06/78866cc1-banner-home-6-4.jpg

O valor total, que será atualizado pela taxa Selic até a data do pagamento,  equivale a pouco mais de R$ 0,3455 por ação do banco. O montante também  está sujeito à retenção de imposto de renda na fonte, com alíquota de 15%.

Os Juros sobre capital próprio do Banco do Brasil serão pagos no dia 31 de agosto, e a data base será o dia 23 do mesmo mês.

3. Itaú (ITUB4) também pagará juros sobre capital próprio

Além do Banco do Brasil, o Itaú também aprovou o pagamento de R$ 0,10384 por ação em JCP. Com a retenção de imposto de renda na fonte, o valor a ser pago por papel cai para R$ 0,0882 .

O pagamento dos juros sobre capital próprio do Itaú está marcado para o dia 26 de agosto, e a data base é dia 13 de agosto.

Ainda no dia 26, o banco pagará outros proventos já aprovados anteriormente, que somam, ao todo R$ 2,15 bilhões.

4. Copel (CPLE6) se junta ao Banco do Brasil e ao Itaú e pagará JCP

Se juntando à turma do Banco do Brasil e do Itaú, a Copel (CPLE6) também anunciou o pagamento de JCP nessa semana.

A companhia decidiu, na última quarta-feira (4), que o pagamento do JCP do exercício de 2020, aprovados em meados de abril, acontecerá no dia 11 de agosto desse ano.

A companhia distribuirá, de forma líquida, R$ 210.275.576,76, o que equivale a pouco mais de:

  • R$ 0,072 por ação ordinária;
  • R$ 0,143 por ação preferencial classe A;
  • R$ 0,079 por ação preferencial classe B;
  • R$ 0,3905 por Unit.

Além disso, a Copel decidiu que no dia 11 de agosto também pagará a segunda parcela dos JCPs aprovados em meados de março.

Essa tranche corresponde a R$ 123.256.609,70 líquidos, e assim os acionistas receberão cerca de:

  • R$ 0,0468 por ação ordinária;
  • R$ 0,051 por ação preferencial classe A;
  • R$ 0,051 por ação preferencial classe B;

5. Raízen (RAIZ4) precifica IPO e capta R$ 6,9 bilhões

Na última terça-feira (3) a Raízen precificou seu IPO a R$ 7,40 por ação, no piso da faixa indicativa, que ia de R$ R$ 7,40 e R$ 9,60

Com esses números, a Raízen movimentou R$ 6,9 bilhões com a operação, que contou com a oferta base e o lote suplementar. A distribuidora de combustíveis entrou na Bolsa de Valores avaliada em R$ 74 bilhões.

O IPO da Raízen já pode entrar na lista dos maiores já realizados no país. Fica atrás do Santander (SANB11), com captação de R$ 14,1 bilhões na oferta inicial feita em outubro de 2009.

Dos juros sobre capital próprio do Banco do Brasil à Raízen, essas foram as 5 notícias mais lidas da semana. Para ler todas as notícias do SUNO Notícias, clique aquiou nos siga no Instagram e Twitter.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião