Magazine Luiza (MGLU3) incorpora KabuM! e torna a companhia uma de suas subsidiárias

Magazine Luiza (MGLU3) incorpora KabuM! e torna a companhia uma de suas subsidiárias
Magazine Luiza (MGLU3) fica na ponta negativa do Ibovespa após divulgação de balanço - Foto: Divulgação

Após a aquisição recente que movimentou o mercado, a maior já feita pela companhia, o Magazine Luiza (MGLU3) incorporou as ações da KabuM!, tornando a companhia uma de suas subsidiárias.

O comunicado do Magazine Luiza se deu por meio de fato relevante arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta terça-feira (27). No documento, a varejista detalha a aquisição de 29% do capital da companhia, com a compra de 564,7 mil ações da KabuM!, além de citar a incorporação, de 1,4 milhão de ações, equivalente aos 71% restantes do capital social.

“A KabuM! se tornará uma subsidiária integral da companhia e serão emitidas em favor dos acionistas da empresa 75 milhões de ações ordinárias, nominativas, escriturais, sem valor nominal de emissão do Magazine Luiza”, consta no documento.

Além disso, a companhia diz que o bônus de subscrição ficará condicionado ao cumprimento de meta de performance, que dará aos acionistas da KabuM! o direito de subscrever 50 milhões de ações ordinárias, nominativas, escriturais, sem valor nominal de emissão do Magalu.

Essas propostas, contudo, devem ser submetidas à Assembleia Geral Extraordinária (AGE).

“Com a aquisição, o Magalu reforça o pilar estratégico de novas categorias, com um sortimento extremamente complementar ao atual e com enorme potencial de crescimento. A KaBuM! possui mais de 20 mil itens diferentes em estoque, com um sortimento completo de computadores, hardwares, diz a companhia, acerca da compra, que impulsionou as ações da empresa nas últimas semanas.

Magazine Luiza levantou R$ 4,55 bilhões com follow-on

Juntoe com a aquisição, a varejista também definiu o preço por papel em sua oferta subsequente de ações (follow-on) em R$ 22,75, em valor fixado 2,15% menor do que o dos papéis ao final do pregão do dia em questão, a última quinta (22). A empresa acabou levantando R$ 4,55 bilhões.

Do total captado pelo follow-on, R$ 3,41 bilhões referem-se à oferta base, e R$ 1,137 bilhão com o lote adicional.

A oferta deve direcionar os recursos a “investimentos em ativos de longo prazo”, sendo:

  • Expansão de logística, incluindo automação e novos centros de distribuição;
  • Investimentos em tecnologia, inovação, pesquisa e desenvolvimento;
  • Aquisições estratégicas.

O Goldman Sachs, em relatório, afirmou que a compra é “consistente com a companhia” em virtude de uma estratégia que complementa o crescimento orgânico com as aquisições e seu ecossistema digital.

Com isso, a indicação é de compra com o preço-alvo de R$ 23,72 e de R$ 25,00 no período de doze meses.

Cotação de MGLU3

Às 11h do pregão desta terça-feira (27), as ações do Magazine Luiza seguem a tendência de queda do Ibovespa e enfrentam desvalorização de 1,32%, ante queda de 6,19% semanal.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se