Patrocinado por:

Lojas Renner (LREN3), Cogna (COGN3): Veja as 5 maiores quedas do Ibovespa na semana

Lojas Renner (LREN3), Cogna (COGN3): Veja as 5 maiores quedas do Ibovespa na semana
Lojas Renner (LREN3). Foto: Divulgação

O Ibovespa encerrou o pregão da última sexta-feira (23) em alta de 0,97%, a 120.530,06 pontos, mas não apagou as perdas de 0,48% no acumulado da semana.

Em uma semana de apenas quatro pregões devido ao feriado de Tiradentes na quarta-feira (21), o Ibovespa foi pressionado pelo exterior negativo. O mercado internacional tomado por uma onda de aversão ao risco oriunda dos Estados Unidos depois do presidente americano Joe Biden dizer pretender aumentar os impostos sobre ganhos de capital para 43,4%.

As sessões passadas também foram marcadas pela repercussão do acordo acerca da Lei Orçamentária de 2021, o qual culminou na sanção do presidente da República Jair Bolsonaro.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Reforçando que esta matéria não é uma recomendação de investimento, confira as cinco ações do Ibovespa que mais se desvalorizaram na última semana.

Lojas Renner

A Lojas Renner liderou as quedas do Ibovespa na semana. A varejista vinha de uma surpreende sequência de altas, chegando inclusive a entrar para as maiores valorizações do índice na semana passada, em meio aos rumores acerca da oferta de ações a qual estaria estudando.

A companhia confirmou na segunda-feira (19) a operação, que poderia atingir R$ 6,45 bilhões. Segundo a XP Investimentos, a “oferta é muito grande para ser utilizada apenas em crescimento orgânico, de modo que acreditamos que a companhia possui algum tipo de aquisição em vista.”

O recuo nos últimos dias é fruto de um movimento de realização. A ação ordinária da companhia fechou o pregão da última sexta-feira a R$ 40,82.

Yduqs

Os papéis da holding educacional Yduqs ficaram com a segunda maior desvalorização da semana, fechando a R$ 29,58.

O setor de educação foi um dos que mais sofreram durante a pandemia, e a companhia ainda não se recuperou das perdas. A Yduqs experimentou uma uma valorização nos pregões do dia 12 ao 16 de abril, mas voltou a cair nas últimas sessões.

PetroRio

Já as ações da PetroRio subiram mais de 30% no acumulado do ano. A petroleira disse há duas semanas que a nova certificação das suas reservas feita pela DeGolyer & MacNaughton para os campos de Polvo e Tubarão Martelo e de Frade apontou um crescimento do número de suas reservas, que saíram, no total, de 114,7 milhões de barris ou equivalentes para 121,5 milhões: alta de 7,7 milhões.

A empresa também trouxe Milton Salgado Rangel Neto como seu novo diretor financeiro.

Após um movimento de alta, as ações da PetroRio caíram para R$ 91,85 na última semana.

Cogna

Assim como a Yduqs, as ações de Cogna tiveram até o momento um 2021 difícil e depois de registrarem uma recuperação, voltaram a cair.

Pressionou o papel também a revisão para baixo do preço-alvo por analistas do Bradesco BBI.

Os ativos da empresa fecharam o pregão a R$ 3,96.

B2W

Na terça-feira (20), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aceitou termo de compromisso com os Diretores de Relação com Investidores da Lojas Americanas (LAME4), Carlos Padilha, e da B2W, Fábio Abrate, para encerrar o processo administrativo Sancionador CVM SEI 19957.002991/2020-46. Os executivos pagarão R$ 645 mil à autarquia como parte do acordo.

Os papéis da companhia entraram na onda de alta do varejo na semana anterior a esta e nos últimos cinco pregões fecharam no quinta pior queda do Ibovespa, a R$ 64,80.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião