Locaweb (LWSA3) tem a maior queda entre as small caps em novembro; veja a lista

Locaweb (LWSA3) tem a maior queda entre as small caps em novembro; veja a lista
Locaweb (LWSA3) foi a maior queda dentre as small caps, com balanço mostrando margens pressionadas - Foto: Divulgação.

Novembro foi um dos meses mais turbulentos de 2021 para a bolsa de valores brasileira. O principal índice, o Ibovespa, fechou na mínima do ano justamente no último dia do mês. Seguindo a tendência das grandes companhias da bolsa, as small caps tiveram desvalorização, na sua grande maioria.

Apesar dos resultados majoritariamente fortes na temporada de balanços, o índice sofreu com pressões inflacionárias, risco fiscal elevado e – nos últimos pregões – com uma nova variante da Covid-19. Desse modo, as ações das small caps que mais caíram no mês tiveram desvalorização de cerca de 25%.

Apesar do panorama negativo, o SMLL, o ETF que replica a carteira das small caps da bolsa, teve uma baixa de 2,3% em novembro, ante 3,5% de queda do Ibovespa – o que é relativamente inusitado, visto que as small caps tendem a ter maior volatilidade.

Para as prévias dos balanços, os analistas também miravam bons resultados financeiros para as empresas do índice, no desempenho do terceiro trimestre de 2021.

“Dentro do universo de cobertura Small Caps, esperamos um trimestre positivo para as empresas do setor de bens de capital, impulsionado por fortes indicadores operacionais, juntamente com um aumento na demanda de seus respectivos mercados. Esperamos também bons resultados de Allied (ALLD3) e Vulcabras (VULC3), ambas no varejo/distribuição, que devem ser impactadas positivamente pela Black Friday”, disse a XP Investimentos em relatórios sobre o setor, ao início do mês.

“Já para os setores de estacionamento e restaurantes, esperamos um resultado em recuperação, em função de um cenário desafiador de restrições que ainda afeta as empresas”, diz a corretora.

Ao fim do mês, a XP lembrou que as Small Caps reportaram EBITDA (lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização) acima das expectativas projetadas pelos analistas – seguindo o número de menor baixa do SMLL ante o Ibovespa.

A queda mais drástica do setor foi da Locaweb (LWSA3), que despencou 28% no acumulado mensal. Com o balanço publicado, a companhia teve margens pressionadas e um balanço que desagradou o mercado nos pregões sucessivos.

Veja, abaixo, as cinco maiores quedas das Small caps:

Locaweb despenca

Também uma das maiores baixas do Ibovespa, a companhia de soluções digitais B2B teve um balanço com 65% de alta na receita e aceleração no ritmo de adição de novas lojas.

Apesar disso, as margens ficaram fortemente pressionadas no trimestre, com o EBITDA ajustado de R$ 16,7 milhões, queda de 1,6% ante alta nos outros indicadores.

“Mesmo acreditando que a empresa está bem posicionada para melhorar sua lucratividade, é interessante ficar de olho no EBITDA para os próximos trimestres, especialmente nas empresas recentemente adquiridas”, frisaram os analistas da XP, citando que temos que “nos atentar à margem”.

Após a divulgação do balanço, no fim do mês, a companhia teve ainda mais quedas, acompanhando o mercado de um modo geral. Apesar disso, sua desvalorização superou a média e analistas de alguns bancos seguiram recomendando compra mas colocaram o pé no freio ao cortar o preço-alvo dos papéis.

O Itaú BBA, em relatório, cortou o alvo perto da metade – saindo de R$ 33,10 ao fim de 2021 para R$ 19 em 2022, redução de 43%.

Os analistas do banco chegaram a essa conclusão após uma reunião virtual com o CEO da Locaweb e avaliaram uma perspectiva marginalmente negativa para a companhia.

No documento, citam um “aumento da concorrência, incremento no custo de aquisição de cliente (CAC) no curto prazo e fusões e aquisições mais seletivas devido aos níveis de avaliação implícitos da empresa”.

“Salientamos que a empresa – de hospedagem de sites, serviços de internet, e-commerce e computação em nuvem – pode ser negativamente afetada por um aumento do CAC no curto prazo devido ao acirramento da concorrência e à reabertura de lojas físicas, embora a métrica (valor do ciclo de vida do cliente (LVT)/ custo de aquisição de clientes) permaneça perto de 20 vezes na divisão de comércio. A maioria dos novos vendedores possui lojas físicas, reduzindo a rotação de clientes devido ao maior atrito com o encerramento das operações”, conclui o banco de investimento.

Enjoei cai com prejuízo quase triplicando

No caso da empresa de ‘brechó de e-commerce’, as quedas ocorreram sucessivamente após o seu balanço trimestral. A empresa teve uma alta de 185% no seu prejuízo, o que piorou as expectativas dos investidores. A cifra da última linha foi de R$ 23,2 milhões.

Já o EBITDA ajustado diminuiu em relação ao segundo trimestre deste ano, saindo de R$ -19,2 milhões para R$ -17,3 milhões no 3T21. No terceiro trimestre de 2020, esse número era de R$ 4,6 milhões.

Já no fim de outubro os times de análise tendiam a rebaixar os preços visados para o segmento de varejo de um modo geral.

“Refletindo um cenário macro mais desafiador na nossa cobertura estamos revisando nossas recomendações e preços-alvo para refletir uma perspectiva macroeconômica mais desafiadora à frente, bem como uma maior volatilidade política”, diz relatório da XP assinado pelos analistas Danniela Eiger, Gustavo Senday e Thiago Suedt.

A corretora segue com recomendação neutra, mirando preço alvo de R$ 7.

CSU CardSystem tem revés

Até meados da primeira semana a companhia tinha um resultado positivo, com acumulado de cerca de 14% no ano inteiro. Apesar disso, as quedas ocorreram em meio a uma realização de lucro sucessiva – sendo que a companhia fez seu topo histórico de R$ 27,40 em maio – com um balanço levemente abaixo das expectativas.

No resultado, a CSU Cardsystem informou crescimento de 31,4% do lucro líquido do terceiro trimestre de 2021 totalizando um montante de R$ 16,029 milhões, contra os R$ 12,199 milhões de um ano atrás.

Com a mudança de perspectiva, o BB Investimentos reduziu seu uspside de cerca de 40% para os papéis da empresa não mais passando a ver uma alta dos papéis, segundo o último guia de ações do banco de investimento.

Sequoia cai com balanço

Assim como outros papéis, a Sequoia teve uma queda principalmente em decorrência do seu balanço trimestral. A empresa teve R$ 17,1 milhões de lucro líquido, alta de 24% no comparativo anual.  Apesar disso, algumas margens ficaram pressionadas.

“As margens brutas caíram de 23% para 19% em comparação a 2020, impactado por maiores custos de insumos (principalmente diesel). Pelo lado bom, na comparação t / t o, as margens brutas aumentaram em 230 bps, refletindo sinergias capturadas da integração de recentes fusões e aquisições, ajuste de ~ 50% na base de contratos de Logística e B2B”, diz o BTG Pactual, que recomenda compra com preço-alvo de R$ 38 por ação, ante R$ 9,20 atuais.

Neogrid encolhe lucro em 59%

Outro destaque negativo da temporada de balanços, a empresa teve uma queda de 59% no lucro líquido do terceiro trimestre deste ano, comparado ao mesmo período de 2020, somando R$ 1,7 milhões.

Da mesma forma, o Ebitda da Neogrid teve uma baixa de 61% comparado ao mesmo período do ano passado, somando R$ 4,9 milhões neste trimestre, acompanhado de margem de 8,0%.

Ao mesmo tempo, a companhia teve uma mudança na direção. Em seu perfil no Linkedin, o atual CEO, Eduardo Ragasol, comunicou ao conselho de administração da empresa que por motivos pessoais, decidiu retornar ao México em 2022.

O executivo assumiu a direção em dezembro de 2020, e atualmente a companhia está em processo de seleção para decidir quem ocupará o cargo.

Com os números recentes, a Neogrid figura como a quinta maior queda dentre as small caps da bolsa brasileira.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO