Light (LIGT3) aprova venda de participações para a Brasal por R$ 206,4 milhões

Light (LIGT3) aprova venda de participações para a Brasal por R$ 206,4 milhões
Light (LIGT3). Foto: divulgação

O conselho de administração da Light (LIGT3) aprovou nesta quarta-feira (28) as condições gerais para vender duas participações societárias detidas pela companhia e por sua subsidiária Light Energia para a Brasal.

Assim, a Light venderá para a Brasal:

  • sua participação total de 51% do capital social da Lightger, sociedade que opera a PCH Paracambi, por R$ 108.511.540,60;
  • A participação total da Light Energia representativa de 51% do capital social da Guanhães Energia, sociedade que opera as PCHs Senhora do Porto, Dores Guanhães, Fortuna II e Jacaré, por R$ 97.904.140,40

Os termos finais da operação ainda podem sofrer ajustes, conforme mostra o fato relevante arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Além disso, o documento lembra que “os termos finais do Contrato de Compra e Venda da Operação deverão prever a anuência de autoridades regulatórias e a possibilidade de exercício eventual de direitos de venda conjunta e/ou preferência pela Cemig (CMIG4), detentora de participação de 49% no capital social da Lightger e de 49% no capital social da Guanhães.”

A venda da Lightger e da Guanhães será feita de maneira conjunta, e assim constituirá uma única transação.

Se for concluída, a operação representará a concretização de uma etapa do plano de desinvestimento de ativos non-core da companhia.

Veja também:

Light precifica bonds de 5 anos a US$ 600 milhões

Em meados de junho a empresa informou que precificou a emissão de US$ 600 milhões em títulos da dívida (bonds) de cinco anos no mercado internacional, com opção de recompra em três anos.

Segundo o comunicado, os títulos serão emitidos pela Light SESA (US$ 400 milhões) e Light Energia (US$ 200 milhões) com garantia fidejussória da companhia.

O retorno pago ao investidor, que representa o custo da operação para a empresa, ficou em 4,375%, abaixo da ideia inicial de ao redor de 4,5%.

Os recursos obtidos com a emissão, acrescenta a companhia em comunicado ao mercado, serão utilizados pela Light SESA e Light Energia para o pagamento de dívidas, incluindo as notes emitidas com vencimento em 2023, e para fins corporativos gerais.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO