IPCA: inflação dispara e ultrapassa centro da meta estipulada para 2019, diz IBGE

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 1,15% em dezembro, após ter avançado 0,51% no mês anterior. Dessa forma, o principal indicador do aumento dos preços no País atingiu 4,31% em 2019, ultrapassando o centro da meta estipulada pelo governo, que era de 4,25%.

Este foi o maior resultado do IPCA para um mês de dezembro desde 2002, quando o avanço foi de 2,10%. Em 2018, o aumento dos preços foram na ordem de 0,15%. As informações foram divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na manhã desta sexta-feira (10).

Segundo o Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central (BC) na última segunda-feira (6), os especialistas das principais instituições financeiras do País esperavam um acumulo de 4,13% na inflação de 2019.

Embora a pressão nos preços, sobretudo da carne, no final do ano passado, especialistas acreditam que a inflação se manterá baixa. Para 2020, o Boletim Focus espera que a inflação seja de 3,60%, abaixo do centro da meta estipulada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), de 4%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Para que essa taxa seja respeitada, o Banco Central pode cortar ou elevar a taxa básica de juros (Selic). Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de 2019, a Selic foi reduzida a 4,5% ao ano, nova mínima da série histórica.

Grupos

Dentre os nove grupos estudados pelo IBGE, seis apresentaram alta em suas taxas, dois apresentaram deflação e um permaneceu neutro. São eles:

  • Alimentação e Bebidas (3,38%)
  • Transportes (1,54%)
  • Despesas pessoais (0,92%)
  • Comunicação (0,66%)
  • Saúde e Cuidados Pessoais (0,42%)
  • Educação (0,20%)
  • Vestuário (0,0%)
  • Artigos de Residência (-0,48%)
  • Habitação (-0,82%)

O grupo de Alimentação e Bebidas, com a maior alta para dezembro desde 2002, quando subiu 3,91%, foi a categoria que mais impactou no índice, com 0,83% em dezembro. Esse resultado foi afetado, principalmente, pelo comportamento dos preços das carnes (18,06%), do frango inteiro (5,08%) e dos pescados (2,37%).

Confira: Venda de dólares pelo Banco Central reduz a dívida bruta do País

Em Transportes, as passagens aéreas, que já haviam subido 4,35% em novembro, registraram alta de 15,62% em dezembro. Destaque para ônibus interestadual (3,28%).

Mudança no cálculo do IPCA

A partir do próximo resultado mensal, a metodologia usada pelo IBGE para o cálculo da inflação, medida pelo IPCA, será alterada.

Perante os novos costumes de consumo dos brasileiros, identificados por meio da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, o instituto decidiu mudar a cesta de produtos e serviços pesquisados mensalmente para se aferir ao aumento dos preços.

Saiba mais: Produção industrial recua 1,2% em novembro frente a outubro, diz IBGE

A nova estrutura irá considerar 377 produtos e serviços, com seis subitens a menos que a divulgada até o ano passado.

A pesquisa passará a incluir o acompanhamento de preços de 56 novos itens, como tratamento de animais domésticos e macarrão instantâneo. Enquanto itens os quais o peso ficou menor no orçamento dos brasileiros, como aparelhos de DVD, máquinas fotográficas, microondas e liquidificadores, sairão do cálculo do IPCA.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião