Primeiro Boletim Focus de 2020 prevê crescimento do PIB em 2,30%

Os especialistas das 100 principais instituições financeiras do mercado brasileiro, que contribuem com a elaboração do Boletim Focus, mantiveram a previsão do Produto Interno Bruto (PIB) para 2020 em 2,30%.

Há quatro semanas, no entanto, as previsões dos profissionais no Boletim Focus para o crescimento do PIB deste ano era um pouco menor, de 2,24%.

Saiba mais: Dívida pública cresce 2% em novembro, diz Tesouro Nacional

Quanto à previsão do PIB de 2019, à espera do resultado do quarto trimestre, os especialistas também mantiveram suas expectativas. A alta estimada é de 1,17%, enquanto há quatro semanas a previsão era um pouco menor, de 1,10%.

Taxa de juros, segundo o Boletim Focus

Sobre a taxa básica de juros (Selic), o BC mantém a previsão de 4,50% ao final de 2020, assim como nas últimas seis semanas e da mesma forma em que terminou 2019, após o corte realizado pelo Comitê de Política Monetária (Copom) no dia 11 de dezembro.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Além disso, os economistas ouvidos pelo Banco Central elevaram previsão da inflação medido pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2019 pela nona semana seguida. Segundo eles, o aumento dos preços será de 4,13% em 12 meses. Há quatro semanas, a estimativa era de 3,84%.

Mesmo com o aumento da previsão inflacionária para o País, o IPCA continua abaixo da meta fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para este ano, de 4,25%. A meta tem uma tolerância de 1,5 ponto percentual, podendo ir de 2,75% até 5,75%.

Confira: BC anuncia venda de US$ 7,5 bilhões das reservas em dezembro

Todavia, para 2020, os economistas ouvidos preveem uma leve redução, para 3,60%, no aumento dos preços.

O IPCA é o indicador oficial da inflação no Brasil, e é divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mensalmente. Há ainda o IPCA-15, a prévia mensal do indicador.

Confira as previsões do mercado financeiro para os indicadores de 2020 e 2021:

2020

  • PIB: a projeção do crescimento da economia foi mantida em 2,30%.
  • IPCA: o mercado mantém a projeção de 3,60%. A meta central para 2020 será de 4%, com intervalo de tolerância entre 2,5% e 5,5%.
  • Taxa Selic: a previsão foi mantida em 4,50%.
  • Dólar: os investidores elevaram a previsão para R$ 4,09.
  • Balança Comercial: a expectativa para o superávit caiu para US$ 38,20 bilhões.
  • Investimento estrangeiro direto: os economistas indicaram novamente US$ 80 bilhões.

2021

  • PIB: a projeção do crescimento da economia foi mantida em 3,75%.
  • IPCA: o mercado mantém a projeção de 3,50%. A meta central para 2020 será de 4%, com intervalo de tolerância entre 2,5% e 5,5%.
  • Taxa Selic: a previsão foi mantida em 6,50%.
  • Dólar: os investidores diminuíram a previsão para R$ 4,05.
  • Balança Comercial: a expectativa para o superávit caiu para US$ 39,25 bilhões.
  • Investimento estrangeiro direto: os economistas indicaram novamente US$ 85,30 bilhões.

O Boletim Focus é elaborado semanalmente pelo Banco Central na base das previsões dos analistas de mais de 100 instituições financeiras.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião