Grendene (GRND3) cria joint venture com 3G Radar para vendas internacionais

A Grendene (GRND3) firmou parceria com a gestora 3G Radar para criar uma joint venture (JV) focada em distribuição e comercialização de calçados internacionalmente. De acordo com fato relevante divulgado ao mercado na noite de quinta-feira (08), as sócias vão investir US$ 100 milhões na nova companhia.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1-1.png

Com sede no Reino Unido e batizada de “Grendene Global Brands”, a joint venture firmada pela Grendene e a 3G Radar terá controle e gestão repartido entre as fundadoras, da seguinte forma:

  • a 3G Radar deterá 50,1% do capital social da JV e indicará 3 membros ao seu conselho de administração,
  • a Grendene ficará com o restante (49,9%) do capital social e indicará 2 membros ao conselho da JV.

“A Grendene e a JV celebraram um Acordo Master de Distribuição e Franquia (“MFDA”) para regular a venda dos produtos da companhia no exterior, seja diretamente pela JV ou por meio de terceiros, bem como para realizar a gestão da rede de distribuição terceirizada dos produtos Grendene no exterior, em ambos os casos para a venda ao varejo, a intermediários em geral ou ao consumidor final”, destacou a empresa em fato relevante.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Dona das marcas de calçados Ipanema, Melissa e Rider, cerca de 25% do faturamento da Grendene é proveniente das exportações dos produtos. No primeiro semestre deste ano, as vendas para o exterior contribuíram com 25,5% da receita bruta da fabricante.

Distribuição internacional

De acordo com o Valor Econômico, num primeiro momento, as vendas da JV Grendene Global Brands irá se concentrar nos mercados dos Estados Unidos, Canadá, China e Hong Kong. O cálculo da fabricante de calçados brasileira é de que esses dois mercados (EUA e região macro, China e região macro) movimentam cerca de US$ 150 bilhões ao ano.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Em 2019, a Grendene respondeu por 28% de todos os calçados brasileiros exportados para os mercados internacionais. A intenção da empresa é expandir ainda mais essa atuação, começando pelos maiores representantes, que dominam 40% do consumo de calçados mundiais.

Por um contrato de opção, a aprtir do alcance das metas de venda ao consumidor final no longo prazo, a 3G Radar terá direito de comprar até 12% adicionais do capital da Grendene, informa o Valor. Desde 2018, a gestora é acionista da fabricante e detém, hoje, 6,97% do capital.

A 3G Radar está ligada a 3G Capital, empresa de investimentos fundada por Jorge Paulo Lemann, Beto Sicupira, Marcel Telles, Roberto Motta e Alex Behring. Sua atuação é forte no setor de consumo e varejo, com investimentos em companhias como Ambev, Lojas Americanas e Restaurant Brands International (Burger King, Popeyes e Tim Hortons).

A Grendene já operava por conta própria a marca Melissa nos Estados Unidos. As outras marcas ficavam sob responsabilidade de distribuidores. Agora, as lojas Melissa no exterior devem ser geridas pela nova companhia. São cinco unidades nos EUA e no ano que vem devem ser abertas duas unidades na China.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

A operação do varejo on-line das marcas nesses países também ficará com a joint venture.

Última cotação da Grendene

Após o pregão de quinta-feira (07), a cotação da Grendene fechou em alta de 1,54%, com as ações GRND3 valendo R$ 8,51.

Nos últimos 12 meses, os papéis da Grendene acumulam 15,53% de valorização, sendo negociados a R$ 12,61 na máxima e a R$ 6,31 na mínima.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2021/09/960x136-1-1.png

Monique Lima

Compartilhe sua opinião