IRDM11 anuncia dividendos para fevereiro; confira o valor

O fundo imobiliário IRDM11 anunciou um novo pagamento de dividendos nesta sexta-feira (9). Dessa vez, o valor é de R$ 0,75 por cota, cerca de 7,14% acima do distribuído no mês anterior, que fora de R$ 0,70 por cota.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-2.png

O pagamento dos dividendos será realizado no dia 20 de fevereiro de 2024. Para ter direito a receber esses proventos, os investidores precisavam ter cotas do FII IRDM11 até o final do pregão de hoje (9).

Sendo assim, os novos dividendos do IRDM11 não serão distribuídos aos investidores que comprarem cotas do fundo no próximo pregão.

O novo valor se baseia nos resultados de janeiro, embora eles não tenham sido divulgados ainda. Isso deve ser mais bem detalhado no próximo relatório gerencial.

Uma vantagem para o investidor de fundos imobiliários é que grande parte desses FIIs pagam dividendos isentos de Imposto de Renda para pessoas físicas, e isso também vale para os cotistas do IRDM11.

Os rendimentos do IRDM11 somam R$ 9,78 por cota no intervalo de 1 ano, já considerando o novo pagamento a ser feito em fevereiro.

Assim, tendo como base a cotação de fechamento desta sexta-feira (9), que foi de R$ 77,75, o dividend yield (DY) do fundo nos últimos 12 meses é de 12,58%. O DY mensal é de 0,9636%.

Dividendos do IRDM11

  • Valor por cota: R$ 0,75
  • Data de corte: 9 de fevereiro de 2024
  • Data de pagamento: 20 de fevereiro de 2024
  • Dividend yield (DY): 0,9636%
  • Variação mensal do rendimento: +7,14%

O rendimento do IRDM11 pago em janeiro foi de R$ 0,70 por cota. Conforme destacado em relatório gerencial, essa quantia representou uma remuneração bruta de IR de 105,15% do CDI.

Enquanto isso, os dividendos acumulados ao longo do ano passado foram de R$ 9,97 por cota. Nesse caso, a remuneração bruta anual equivalente foi de 13,43%, o que corresponde a 102,92% do CDI.

A gestão explicou em seu último relatório que o mercado imobiliário passou por elevadas taxas de juros em 2023, e que o ciclo de queda dos juros acabou sendo adiado. Essa questão teria refletido de forma negativa no risco de crédito de certas operações. Como resultado, também impactou os proventos do fundo imobiliário IRDM11.

Apesar disso, a gestão diz que o IRDM11 “conseguiu superar esses desafios e permanece confiante nas negociações em andamento com os seus devedores de maior risco”. Por fim, a gestão está otimista para o ano de 2024, e aguarda por “retornos positivos além dos alcançados em 2023”.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião