AGENDA

Com recuperação das vendas, Energisa (ENGI11) reverte prejuízo e tem lucro de R$ 749 mi no 2T21

Com recuperação das vendas, Energisa (ENGI11) reverte prejuízo e tem lucro de R$ 749 mi no 2T21
Ações da Energisa já caíram 12,4% no acumulado anual com tensão sobre a crise hídrica - Foto: Divulgação

A Energisa (ENG11) divulgou nesta quinta (12) que obteve lucro líquido de R$ 749 milhões entre abril e junho deste ano. A companhia atribui o resultado à consistente retomada de vendas no trimestre.

Com esse resultado, a empresa reverteu o prejuízo de R$ 88 milhões do mesmo período de 2020. O número teve o impacto positivo de R$ 142 milhões referentes à marcação a mercado de derivativos, sem efeito caixa, com R$ 72,8 milhões de influência negativa referente ao bônus de subscrição atrelado à 7ª emissão.

Segundo a Energisa, é preciso considerar ainda os R$ 214,8 milhões referentes à opção de compra pela companhia da participação de minoritários da Energisa Participações Minoritárias — o que gerou consequências positivas no desempenho trimestral da empresa. No acumulado do semestre foi apurado salto de 228,6% no lucro, para R$ 1,622 bilhão.

No período, o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) subiu 90,5% base anual, para R$ 1,385 bilhão. O Ebtida ajustado atingiu R$ 1,497 bilhão, valor 86,8% maior na mesma base de comparação. No acumulado do semestre, o Ebitda chegou a R$ 2,922 bilhões, aumento de 68,8%.

A receita líquida da Energisa totalizou R$ 8,622 bilhões no trimestre, alta de 31,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida, sem recebimento de construção, teve alta de 36,7% no período na mesma base de comparação, para R$ 5,294 bilhões.

No segundo trimestre, os investimentos da empresa subiram 35,4% ante o mesmo intervalo de 2020, para R$ 909,2 milhões.

Em junho, a dívida líquida consolidada da Energisa era de R$ 13,906 bilhões, contra R$ 14,220 bilhões reportada em março. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por Ebitda ajustado, encerrou o período em 2,5 vezes, uma queda de 1,2% vezes na comparação anual.

O volume total de energia vendida no mercado cativo faturado da Energisa subiu 4,1% no segundo trimestre do ano, totalizando 7.317 gigawatts-hora (GWh) na base anual.

Já o mercado cativo mais a TUSD (Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição) faturado alcançaram 9.049 GWh no período, volume 7,9% maior que o mesmo intervalo de 2020. O mercado cativo + TUSD não faturado da Energisa aumentou 9,7% no trimestre, para 8.950 GWh na base anual.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião

Manual 10 passos essenciais para se tornar um investidor de sucesso. Baixe Grátis!

Baixar agora!