Dólar encerra em queda mesmo com resultado das eleições na Argentina

O dólar encerrou em queda, nesta segunda-feira (28), após Alberto Fernandez, da chapa da ex-presidente Cristina Kirchner, vencer as eleições da Argentina.

A moeda norte-americana fechou abaixo de R$ 4 pela primeira vez desde o dia 15 de agosto. O dólar encerrou em queda de 0,436%, vendido a R$ 3,9919.

O otimismo do mercado ainda reflete a aprovação da reforma da Previdência no Senado, que ocorreu na última terça-feira (22).

O relatório divulgado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sobre o investimento estrangeiro direto (IED) global também contribuiu para a queda da moeda estadunidense ante o real.

Além disso, o aumento da previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no Boletim Focus movimentou o mercado.

Eleições na Argentina

O candidato da chapa da ex-presidente da Cristina Kirchner, Alberto Fernandez, foi eleito presidente da Argentina no último domingo (27).

Saiba mais: Macri é derrotado e Alberto Fernández é eleito presidente da Argentina

Dessa forma, o candidato à reeleição e atual presidente, Mauricio Macri, saiu derrotado com apenas 40,57% dos votos, de um total de 93,55% das urnas apuradas.

Com o resultado, a esquerda voltará ao poder no país, sem precisar de uma votação em segundo turno. Na sequência dos votos, apareciam os candidatos Roberto Lavagna, da chapa ‘Consenso Federal’, com 6,17% dos votos e Nicolás Del Caño, do partido ‘Frente de Izquierda y de Trabajadores’, com 2,14% dos votos.

Fluxo global de investimento estrangeiro

De acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil foi o quarto país a receber mais investimento estrangeiro direto (IED) entre janeiro e junho.

Saiba mais: Fluxo global de investimento estrangeiro cai 20% no 1º semestre

O fluxo global de investimento estrangeiro registrou queda de 20% no primeiro semestre deste ano ante o último semestre de 2018. No primeiro semestre, o IED somou US$ 572 bilhões.

Os cinco países que mais receberam investimentos estrangeiros foram os Estados Unidos, a China, a França, o Brasil e a Índia. Em contrapartida, o Japão, os EUA e a Alemanha foram os países que mais investiram.

Previsão para o PIB

Os especialistas entrevistados pelo Banco Central (BC), no Boletim Focus, aumentaram para 0,91% a previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). Este é o segundo aumento consecutivo.

Saiba mais: Boletim Focus eleva previsão do PIB pela segunda semana consecutiva

Ademais, os economistas, depois de 11 semanas seguidas de cortes, agora aguardam uma inflação maior. A expectativa para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 3,26% para 3,29%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Planilha-controle-de-gastos.png

Os analistas mantiveram a mesma expectativa da semana passada para a Selic em 2019. Segundo o Boletim, a taxa básica de juros deve terminar o ano em 4,50%.

Última cotação do dólar

Na última sessão, na sexta-feira (25), o dólar encerrou em queda de 0,87%, sendo cotada em R$ 4,0094.

Giovanna Oliveira

Compartilhe sua opinião