DIVIDENDOS

Dólar sobe com cautela de visita de Nancy Pelosi a Taiwan e tensão de China e EUA

EUA X China: Bolsas mundiais recuam; Entenda!

O dólar opera em alta alinhado ao exterior. Os investidores ajustam posições compradas na moeda, acompanhando a tendência de valorização no exterior em meio a tensões geopolíticas entre EUA e China, com a visita programada da presidente da Câmara dos Representantes americana, Nancy Pelosi, a Taiwan.

A cotação do dólar sobe 0,70%, a R$ 5,275, por volta 11h.

O porta-voz do ministério de Relações Exteriores chinês, Hua Chunying, disse em coletiva de imprensa nesta terça-feira, 2 que os EUA poderão enfrentar “consequências desastrosas”, caso contrariem a China em relação à viagem da presidente da Câmara dos Representantes a Taiwan.

Ele ainda completou dizendo que “não importa por qual motivo Pelosi vá para Taiwan, será uma aposta estúpida, perigosa e desnecessária”, disse Hua. “É difícil imaginar uma ação mais imprudente e provocativa”.

No radar dos investidores do dólar hoje ainda está os dados de produção industrial no Brasil. O recuo de 0,4% da produção industrial brasileira em junho ficou 0,1 ponto porcentual abaixo da mediana da pesquisa Projeções Broadcast, de -0,3%.

O desvio foi o menor desde abril deste ano, quando o índice efetivo (0,1%) também foi inferior à estimativa intermediária do levantamento (0,2%) em 0,1 ponto.

Mais cedo, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas informou que, diante da pressão deflacionária dos combustíveis, reduziu de 9,0% para 8,0% a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-Fipe) de 2022.

Após retirar 0,40 ponto porcentual do indicador em julho (0,28% para 0,16%), o grupo Transportes (-0,25% para -2,70%) deve cair novamente em agosto, mas com uma deflação menor, de 1,37%, prevê o coordenador do IPC, Guilherme Moreira.

A agenda do dia também pode impactar na movimentação do dólar. Os investidores devem monitorar ainda o relatório sobre empregos Jolts nos EUA (11h) e falas de dirigentes do Federal Reserve que votam nas decisões deste ano: Loretta Mester, de Cleveland (14h), e James Bullard (18h30), de St. Louis.

No Brasil, o movimento da taxa de câmbio opera com o início da reunião monetária do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, com o dia hoje dedicado à análise de conjuntura da economia brasileira.

A decisão sobre a nova Selic sai na quarta-feira e a expectativa majoritária é de alta de 50 pontos-base, a 13,75% ao ano, com possível sinalização de fim do ciclo de aperto de juros, embora alguns agentes acreditem que o BC poderá deixar a porta aberta para o encontro de setembro.

Além do valor do dólar hoje, os investidores observam os juros futuros médio e longos, que rondam a estabilidade na manhã desta terça-feira, 2, mas com viés de alta, após já terem caído por quatro sessões seguidas. Os curtos têm viés de baixa após a produção industrial de junho ter caído 0,4% e ficado abaixo da mediana estimada (-0,3%).

Última cotação do dólar

O dólar encerrou em R$ 5,208 nesta segunda-feira (2), com uma alta de 0,31%, registrando sua segunda valorização seguida.

(Com informações de Estadão Conteúdo)

Redação Suno Notícias

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO