Dívida e juros elevados nos Estados Unidos vão prejudicar o Brasil? Veja o que diz esta gestora

Um possível aumento mais drástico na taxa de juros dos Estados Unidos pode atrapalhar os mercados de risco, incluindo o Brasil. O JPMorgan Chase disse que os juros americanos podem sair do atual patamar de 5,5% para 7%, o que pode afetar a economia global, acredita a AZ Quest.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Em sua carta mensal, a gestora comenta que as taxas reais de juros mais altas e pressionadas nos EUA levantam preocupações sobre as dificuldades do Brasil para estabilizar a dívida pública. Isso contribui diretamente para o aumento da volatilidade da bolsa de valores.

Em situações de crise econômica e juros elevados, os investidores dão preferência aos ativos financeiros mais conservadores. Nessa situação, o dólar tende a se valorizar frente às moedas de países emergentes.

Do lado norte-americano, houve um notável crescimento da dívida pública federal desde o início do século, em pelo menos 123% do PIB em 2019, devido a déficits contínuos.

Para agravar a situação, a agência de classificação de risco Fitch rebaixou a nota de crédito dos Estados Unidos, levando a taxas de juros mais altas para empréstimos ao governo americano.

Taxas de juros nos EUA: ponto de atenção

Na visão da gestora, há indícios de que as taxas reais de juros dos dos Estados Unidos não retornarão ao terreno negativo, como aconteceu nos últimos anos.

Do lado brasileiro, toda essa situação da economia americana traz um “ponto de atenção” aos investimentos de economias emergentes, como a do Brasil.

Por isso, a AZ Quest acredita que a equipe econômica do atual governo terá que se desdobrar para perseguir metas fiscais e aprovar reformas, para estabilizar a dívida pública.

A gestora também comenta a importância do cumprimento das metas fiscais para a diferenciação positiva do Brasil em relação aos outros países do continente.

Fundos de investimentos: estratégia de renda variável e crédito foram os destaques

Mesmo com o cenário complexo da economia americana, os fundos de investimentos da AZ Quest tiveram boa performance em setembro. O Ibovespa subiu 0,71%, prejudicado justamente pelo cenário externo.

Em relação aos resultados dos fundos de renda variável, os setores de petróleo, assistência médica, transporte e elétricas foram os que mais contribuíram positivamente. O melhor desempenho foi do fundo AZ Quest Total Return, que rendeu 3,18%.

A estratégia de crédito também teve resultado positivo, principalmente com o aumento de ofertas primárias de ativos e do fechamento do spread de crédito. Dos fundos, o maior destaque foi do AZ Quest Supra, com rendimento de 1,54%.

Em contrapartida, a estratégia Macro (multimercado) teve desempenho ruim. As alocações em bolsa, juros locais e no mercado internacional prejudicou os ganhos dos fundos. O maior destaque foi AZ Quest Multi, que fechou um mês com leve ganho de 0,03%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Gustavo Bianch

Compartilhe sua opinião