Escândalo de corrupção na China ameaça império do bilionário Jack Ma, do Ant Group e Alibaba (BABA34)

Escândalo de corrupção na China ameaça império do bilionário Jack Ma, do Ant Group e Alibaba (BABA34)
Ant Group, do bilionário Jack Ma dono da Alibaba (BABA34) é acusado de corrupção.

O Ant Group, do bilionário chinês Jack Ma dono do Alibaba (BABA34), foi acusado de corrupção pela emissora de TV estatal da China. Em documentário produzido pela China Central Television, diversas empresas privadas foram apontadas por terem feito pagamentos exorbitantes como forma de propina a pessoas ligadas ao governo.

Segundo o documentário, as companhias teriam enviado grandes quantias de dinheiro ao irmão de um ex-chefe do Partido Comunista da China em Hangzhou, Zhou Jiangyong, no leste do país. O esquema visava incentivos governamentais e auxílio na compra de propriedades.

Jiangyong foi preso em agosto do ano passado por corrupção, justamente por ter sido acusado de favorecer empresas (cujos nomes não foram citados) de forma ilegal.

Neste cenário, uma subsidiária do Ant Group comprou dois lotes de terra a preços abaixo do praticado no mercado em 2019, logo depois de ter comprado participações em duas empresas de meios de pagamento do irmão mais novo do ex-secretário do partido.

O documentário não citou diretamente o nome da empresa de Jack Ma, mas os registros públicos indicam que uma unidade do Ant Group foi investidora nas duas empresas do irmão do secretário — sendo que, em uma delas, foi o único investidor externo.

O irmão mais novo de Jiangyong é dono da companhia Youcheng United Information Technology Development, que recebeu contratos com o governo para construir sistemas de pagamento sem fio para o metrô de Ningbo e Whenzou, na época em que seu irmão mais velho era secretário da região; o próprio admitiu que o irmão só conseguiu o contrato por conta do parentesco.

A Shanghai Yunxin Venture Capital Management, subsidiária do Ant Group, pagou US$ 268 mil por uma fatia de 14,3% da Youcheng United em 2019, além de uma cadeira no Conselho de Administração. No mesmo período, comprou por US$ 221 mil uma participação em uma provedora de serviços de pagamento do metrô, também pertencente ao irmão mais novo de Zhou.

A empresa venceu o leilão de um terreno em Hangzhou por U$ 819 por metro quadrado. Segundo o registro do leilão de terras, havia apenas um licitante qualificado. O preço das casas no bairro costuma superar US$ 7,1 mil por metro quadrado, e o Zhou mais novo disse ter cobrado caro pelos investimentos na empresa.

“Você sabe, é claro, que sou irmão de Zhou Jiangyong”, disse Zhou Jianyong no documentário. “Então deve imaginar como elevei o preço. Você quer tirar vantagem de mim. Eu não deveria fazer o mesmo com você?”

Jack Ma sofre mais um golpe na reestruturação do Ant Group

A visão dada pela produção audiovisual representa a opinião do governo, uma vez que se trata de um pronunciamento oficial produzido pela Comissão Central de Inspeção Disciplinar do Partido Comunista. “A natureza de tal transferência de interesses é uma troca de poder e capital”, afirmou o documentário.

Mesmo não sendo citado diretamente, a postura do governo chinês consegue colocar ainda mais pressão na situação delicada que a empresa de Jack Ma se encontra, que luta contra o crescente confronto político. Isso pois o presidente da China, Xi Jinping, quer reformar o cenário empresarial e político do país em busca da “prosperidade comum”.

A direção de Jinping ameaça o Ant Group porque a ascensão da companhia está muito ligada a capacidade de conseguir benefícios de autoridades locais, disse uma fonte próxima ao Financial Times. Agora, parece que Jack Ma terá que pagar um preço por isso.

“A ascensão e queda do Ant Group simbolizam a relação desigual entre negócios e política na China”, disse Nie Huihua, professor da Universidade de Renmin, em Pequim.

O Ant Group atualmente luta para reformular seus negócios e deixá-los em ordem com as demandas das autoridades regulamentárias. A empresa tentou uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) em 2020, de US$ 37 bilhões, que foi cancelada por agentes reguladores, que a obrigaram a se reestruturar.

Os planos de reforma do Ant Group foram frustrados outra vez na semana passada. Encabeçados pelo governo, sofreram um golpe após uma firma estatal administradora de ativos ter desistido de um acordo para investir no braço de empréstimos da companhia.

A comissão de combate à corrupção do Partido Comunista alegou, após o lançamento do documentário, que intensificará a fiscalização das grandes corporações de internet da China para “cortar a ligação entre o poder e o capital“. Procurados pelo Financial Times, Jack Ma e o Ant Group não se pronunciaram.

(Com informações do Financial Times)

Bruno Galvão

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO