Marcos Figueiredo

A mesada educa financeiramente?

Dar dinheiro aos adolescentes de forma regular e periódica é a melhor forma de ensiná-los a lidar com dinheiro na prática

Mesmo para nós, adultos, a consciência financeira é um desafio constante. Para os adolescentes, é ainda mais complicado aprender a lidar com o dinheiro de forma consciente. Essa é uma competência que precisa ser construída ao longo do tempo, com acertos e erros. Por isso, a OCDE recomenda que o processo de aprendizado seja iniciado o quanto antes — e um dos instrumentos mais úteis para isso é a boa e velha mesada. Isso porque ela funciona como um treino para a fase adulta, independentemente do momento em que comece a ser paga.

Para os pequenos, a mesada é uma forma de entender valores monetários de forma prática. Já a adolescência é um momento de maior autonomia, mas ainda é necessário que os pais estabeleçam limites.

Por tudo isso, acredito que a mesada é o melhor instrumento para ensinar nossos filhos a lidar com finanças na prática. Neste artigo, comento algumas das principais vantagens de dar dinheiro de forma regular e periódica.

Participação no orçamento familiar

Durante a adolescência, os jovens vão aos poucos conquistando autonomia, sendo que a independência financeira é uma das últimas barreiras a ser rompida. Assim, as famílias que optam por dar a mesada estão, na verdade, oferecendo aos adolescentes a oportunidade de administrar uma parte do orçamento familiar, usando seus recursos de forma autônoma, permitindo que eles façam escolhas, mas mantendo-se dentro do que foi previamente combinado. O valor deve ser suficiente para que eles consigam pagar as despesas essenciais do dia a dia, como lanches na escola, transporte e lazer, por exemplo.

O importante é que seja um valor fixo, pago com regularidade, no mesmo dia da semana ou do mês.

Desenvolvimento de competências

Além de ensinar os adolescentes a gerenciar recursos limitados, a mesada os ajuda a planejar os gastos em função do tempo. É claro que no início eles cometerão erros, mas com o tempo passarão a entender quanto podem gastar por dia, compensando gastos excessivos com um maior controle. Mas, para que isso aconteça, é fundamental que os adultos evitem dar dinheiro extra de forma recorrente, pois isso impedirá o aprendizado.

Outra lição importante é que o dinheiro tem regras de uso. Todos nós temos despesas obrigatórias, por isso é essencial que os pais orientem os adolescentes sobre a forma como o dinheiro da mesada deve ser usado, sem tirar deles a autonomia de fazer escolhas. Por exemplo: se a mesada for calculada para cobrir despesas obrigatórias, como o lanche da escola, o adolescente pode optar por economizar um pouco a cada dia para comprar itens de seus games favoritos.

Por fim deixo como última dica uma frase que considero fundamental para quem acredita que educação financeira se aprende na prática: lembre-se sempre que a escassez ensina mais que a fartura!

E você, costuma dar mesada a seus filhos? Deixe sua opinião no espaço dos comentários.

Nota

Os textos e opiniões publicados na área de colunistas são de responsabilidade do autor e não representam, necessariamente, a visão do Suno Notícias ou do Grupo Suno.

Marcos Figueiredo
Mais dos Colunistas
Marcos Figueiredo Nem sim, nem não: o que aprendi nas férias dos meus filhos

Nas últimas semanas, meus filhos estavam de férias na escola e isso mudou a rotina da nossa família. Os dois adolescentes gostam de ir ao clube, e às vezes acabam fica...

Marcos Figueiredo
Marcos Figueiredo Como incentivar os adolescentes a guardar dinheiro?

Apenas um terço dos brasileiros têm dinheiro investido: é o que afirmam pesquisas recentes, como o Raio-X do Investidor da Anbima. Existem vários motivos por que as pe...

Marcos Figueiredo

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO