Grana na conta

Cogna (COGN3) sobe mais de 10% na Bolsa nesta terça; entenda os motivos

As ações da Cogna (COGN3) fecharam em alta de 10,19% e lideraram altas no Ibovespa nesta terça-feira (31), seguidas por outras ações do setor de educação. A Ânima (ANIM3) subiu 8,3%, a Yduqs (YDUQ3) e a Ser Educacional (SEER3) subiram 7% e 13%, respectivamente.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-1420x240-3.png

O movimento ocorre após o Bradesco BBI elevar a recomendação para a Cogna para “neutra”, manter a recomendação da Yduqs para “compra” e definir a da Ânima como “top pick” do setor.

“Entendo que é um movimento do setor, não só de Cogna”, diz Rafael Maluly Bombini, assessor da DOM Investimentos. “O setor ficou bastante para trás, mas têm saído alguns dados que favorecem o segmento, principalmente no que se refere ao estudo a distância, que tem crescido”, complementa.

Ontem (30), foi anunciado que o Fundo Garantidor do Fies (FG-Fies) receberá R$ 500 milhões da União. A Cogna vê a possibilidade do programa voltado ao ensino a distância.

O assessor lembra que a Cogna é uma das principais empresas listadas na Bolsa e por isso desempenhou melhor que os pares nesta terça-feira.

Elevação da recomendação da Cogna

O Bradesco BBI elevou a recomendação para as ações da Cogna para “neutro”. O banco de investimentos explica que há perspectiva de ganhos positivos à frente para a empresa, mas o ativo ainda está pouco atraente em valuation.

O preço-alvo da Cogna foi rebaixado de R$ 2,70 para R$ 2,40. A ação é negociada hoje a R$ 2,41.

“Esperamos aceleração do crescimento da receita em 2023 e recuperação contínua da margem, liderando o Ebitda ajustado para crescer 28%”, explicam os especialistas.

Ânima é top pick

A Ânima é a principal escolha dos analistas do BBI no setor de educação. Segundo eles, a companhia está com valuation atrativo, possui um melhor mix focado em medicina, cursos de maior qualidade e espaço para expansão de margem.

O preço-alvo para o ativo ficou inalterado, em R$ 8.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

“Esperamos que a Ânima continue entregando resultados sólidos em 2023, com crescimento de 17% do Ebitda ajustado, e sem consumo de caixa apesar da alta alavancagem e juros”, ressaltam os analistas.

Para Yduqs, a recomendação de “compra” foi mantida, mas o preço-alvo foi rebaixado de R$ 17 para R$ 14. Os analistas veem lucros mais desafiadores em 2023, mas acreditam que isso já está precificado e o valuation é “convincente”.

O que os analistas esperam das empresas de educação no 4T22?

O BTG Pactual prevê que a Cogna obtenha uma receita líquida de R$ 1,6 bilhão no quarto trimestre de 2022, acima da receita de R$ 1,5 bilhão do 4T21. E como deve ser o resultado das outras empresas do setor no último trimestre do ano? O banco divulgou um relatório com as projeções.

Os analistas divulgaram suas estimativas para os resultados das empresas de educação do 4T22, incluindo, além da Cogna, Ser Educacional (SEER3), Yduqs (YQUD3), Ânima (ANIM3) e Cruzeiro do Sul (CSED3).

Veja as projeções do BTG Pactual para a Cogna, Yduqs e Ânima comparadas com o consenso da Bloomberg abaixo:

O BTG Pactual espera que a Cogna registre uma receita líquida de R$ 1,6 bilhão no quarto trimestre de 2022, acima em 5,7% da receita de R$ 1,5 bilhão do 4T21.

Além disso, prevê que a Cogna obtenha R$ 453 milhões em Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização). No mesmo período de 2021, a Cogna registrou R$ 424 milhões.

O lucro líquido da Cogna projetado pelo banco de investimentos é de R$ 56 milhões. É um número bem melhor que o do 4T21: a Cogna havia registrado nesse trimestre prejuízo líquido de R$ 75 milhões.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

Ana Clara Macedo

Compartilhe sua opinião