Cargo de Abilio Diniz no Carrefour (CRFB3) ficará vago no momento, diz companhia

Após o falecimento de Abilio Diniz na noite de domingo (18), o Carrefour (CRFB3) comunicou que os cargos do empresário ficarão, por ora, vagos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png

Conforme o Carrefour, o cargo de Abilio Diniz ficará vago até que o Conselho de Administração da companhia decida sua sucessão.

O empresário ocupava o cargo de vice-presidente do Conselho de Administração do Carrefour e, além disso, também presidia o comitê de talentos, cultura e integração da rede.

A gestora de recursos do empresário, a Península, ainda não informou detalhes sobre a sucessão interna, dado que Abilio era o presidente da gestora.

Atualmente a Península é o maior acionista individual do Carrefour. Conforme os dados do site de Relação com Investidores (RI) da companhia, a gestora detém uma fatia de 7,3% do capital social da varejista.

Em relatório, analistas do JPMorgan destacaram que a morte de Abilio Diniz deve trazer mais volatilidade para as ações do Carrefour.

“Acreditamos que ele vinha sendo uma voz importante em recentes mudanças na gestão do Carrefour, trazendo mais independência da França para os negócios locais, principalmente para o Atacadão, e na mudança de estratégia para acelerar iniciativas de reestruturação, incluindo o fechamento de lojas”, disse a casa.

Os especialistas ainda afirmaram que acreditam que com a perda do empresário, fica a dúvida sobre a manutenção das mudanças internas na companhia, que eram defendidas por Abilio, considerada uma ‘voz forte e ativa’ no conselho da companhia.

Como foi o falecimento de Abilio Diniz

O empresário faleceu na noite deste domingo (18). O ex-dono do Pão de Açúcar (PCAR3) estava internado há duas semanas no hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP), tratando uma pneumonia.

Antes da morte de Abilio Diniz, o empresário havia apresentado sintomas e mal estar durante uma viagem que fez a Aspen, no Colorado (EUA). Após isso, voltou ao Brasil às pressas em um avião adaptado com uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e foi internado logo em seguida.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

“É com extremo pesar que a família Diniz informa o falecimento de Abilio Diniz aos 87 anos neste domingo, 18 de fevereiro de 2024, vítima de insuficiência respiratória em função de uma pneumonite. O empresário deixa cinco filhos, esposa, netos e bisnetos, e irá ao encontro do seu filho João Paulo, falecido em 2022. Desde já, a família agradece a todas as mensagens de apoio e carinho”, diz a família do empresário, em nota.

A morte acontece um ano e meio depois de Abilio perder seu filho, João Paulo Diniz, aos 58 anos, vítima de um mal súbito.

Nesse meio tempo, Abilio se mostrou estar extremamente enlutado pela perda. Em postagem em suas redes sociais, declarou: Estou sem chão, a dor que sinto é inexplicável.

O empresário figura em um panteão seleto de homens de negócio do ramo de varejo. Abilio foi um dos fundadores do Grupo Pão de Açúcar, ou GPA.

Ele havia deixado o quadro de executivos e sócios da rede de supermercados após uma disputa societária intensa. A rede passou a ser controlada em meados de 2005 pelo grupo francês Cassino – que atualmente está endividado e visa vender seus ativos na América do Sul.

Com patrimônio estimado em R$ 12 bilhões, Abilio Diniz chegou a ser um dos homens mais ricos do Brasil.

Antes de falecer, Abilio figurava como vice-presidente do conselho de administração do Carrefour (CRFB3) Brasil.

Os investimentos de Abilio Diniz eram feitos pela sua gestora de recursos financeiros, nomeada Península, o qual era presidente do Conselho de Administração.

Vale destacar que, ainda em sua carreira como empresário do varejo, Abilio Diniz comprou – ainda enquanto era controlador do Pão de Açúcar – as Casas Bahia (BHIA3) e o Ponto Frio em uma aquisição feita em meados de 2019.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião