Caixa ampliará prazo de financiamentos habitacionais, diz Bolsonaro

Caixa ampliará prazo de financiamentos habitacionais, diz Bolsonaro
Fachada de agência da Caixa Econômica Federal. (foto: divulgação)

A Caixa Econômica Federal irá prorrogar o prazo para o pagemento de financiamentos imobiliários. A informação foi divulgada a jornalistas, nesta quinta-feira (14), pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Vi uma notícia na mídia agora e liguei para o Pedro Guimarães, da Caixa, para saber se era verdadeira. Era mais grave do que eu tinha lido: 2 milhões e 300 mil clientes da Caixa Econômica, que pagam casa própria, pediram para pausar o crédito”, disse Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada.

Garanta acesso gratuito à eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas com um único cadastro. Clique para saber mais!

De acordo com o mandatário, “como regra, a Caixa permitiu atraso por até dois meses”, decidindo, posteriormente, aumentar o prazo de carência para três meses. Bolsonaro, no entanto, ressaltou que o período de 90 dias ainda poderia ser insuficientes para parte dos tomadores dos financiamentos.

“Nessa prorrogação os 2,3 milhões, de um universo de 5 milhões, ou seja, o pessoal não têm dinheiro para pagar prestação da casa própria”, afirmou Bolsonaro, relevando a expansão do período.

“Pedro Guimarães, conversei com ele agora, em comum acordo, e ele diz que vai aumentar para quatro meses. Porque não adianta apenas prorrogar se o elemento que perdeu o emprego teve salário reduzido e não tem como pagar a prestação da casa própria”, salientou o presidente.

Bolsonaro dises que “o que está sobrando de dinheiro para ele [cidadão comum] está sendo para comprar comida”. Na entrevista, Bolsonaro voltou a apelar a governadores que revejam suas medidas de disseminação da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Tem que reabrir. Nós vamos morrer de fome. A fome mata”, disse o mandatário após revelar a nova medida da Caixa.

Essa não é a primeira política da instituição financeira estatal no combate às consequências econômicas da pandemia. A Caixa tem realizado os pagamentos relacionados ao auxílio emergencial, conhecido como coronavoucher, de R$ 600 a trabalhadores informais e de R$ 1.200 a mães chefe de família.

Além disso, na última segunda-feira (11), a Caixa anunciou que irá voltar a reduzir os juros do cheque especial “em breve”. Em março, o banco cortou os juros para 2,9% ao mês, sendo que no início do ano passado era de 14% ao mês.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião