Patrocinado por:

C6 Bank lidera lista de startups mais promissoras do LinkedIn

C6 Bank lidera lista de startups mais promissoras do LinkedIn
C6 e startups do setor financeiro são as mais promissoras, segundo levantamentos recentes - Foto: Divulgação/C6

Pela quarta vez, o LinkedIn publicou uma lista das 10 startups que estão em alta no Brasil, colocando o Banco Digital C6 Bank no topo, à frente de outras fintechs, foodtechs e empresas majoritariamente voltadas para o segmento de tecnologia.

O C6 Bank, vale lembrar, deve crescer nos próximos anos em conjunto com o segmento de bancos digitais após a instituição das políticas de Open Banking.

  1. C6 Bank – banco digital
  2. Neon – fintech
  3. Gupy – empresa de tecnologia para recursos humanos
  4. Kestraa – gestão e operação de comércio exterior
  5. Mandaê – serviço logístico para e-commerce
  6. Loft – plataforma digital para compra e venda de imóveis
  7. Dengo Chocolates – foodtech
  8. DataSprints – soluções para análise de dados
  9. Kovi – aluguel de carros
  10. Liv Up – foodtech de comida natural e mercado online

O segmento de startups tem crescido exponencialmente nos últimos anos no Brasil. No acumulado de mês de agosto, as startups brasileiras levantaram US$ 772 milhões em investimentos, segundo estudo recente do Inside Venture Capital Report, relatório da Distrito Dataminer.

O acumulado de aportes do ano já soma US$ 6,6 bilhões, saindo de US$ 3,5 milhões vistos em 2020. Para Renato Gil, co-fundador da 2Simple, empresa que atua na criação de estratégias para startups, a grande alta nessa captação vem do avanço tecnológico visto na pandemia.

Fintechs, como a C6 Bank, são as queridinhas

No nicho, empresas de serviços bancários e financeiros costumam ser as mais competitivas, e a tendência é que, com a modernização do setor e a digitalização com a pandemia, essas companhias ganhem uma fatia ainda maior de mercado.

“Temos uma lista muito forte em inovação com o oferecimento de serviços digitais que foram reforçados pela necessidade do isolamento social causado pela pandemia, como serviços financeiros, negócios ligados à logística e frete com o fortalecimento dos e-commerces”, afirma Rafael Kato, editor-chefe do LinkedIn para América Latina.

Se somados os investimentos de 2021, as maiores captações ficam com companhias do nicho financeiro:

  • Fintechs – US$ 2,6 investidos
  • Retailtech – US$ 630 milhões
  • Edtech – US$ 294 milhões
  • Healthtech – US$ 222 milhões
  • Martech – US$ 49 milhões

O capital levantado pelas companhias deve ser – conforme a tradição das startups – investido integralmente no crescimento. O exemplo mais recente é o anúncio do C6 Bank de que irá queimar parte de seu caixa para abrir 500 novas vagas de emprego para todas as áreas e níveis de experiência.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!