Bolsas asiáticas sobem, após rali em NY deflagrado por Nvidia; Europa opera mista

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta sexta-feira (23), após Wall Street vivenciar um rali com o robusto balanço da Nvidia, fabricante de chips americana que está no centro da onda de inteligência artificial (IA).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png

Ontem, as bolsas de Nova York tiveram ganhos de cerca de 1,2% a 3%, com recordes de fechamento dos índices Dow Jones e S&P 500, após a Nvidia, cuja receita depende em boa parte da Ásia, surpreender positivamente com seus resultados trimestrais e projeções.

Na China continental, os mercados ampliaram ganhos recentes, sustentados ainda também por recentes medidas de apoio de Pequim. O índice Xangai Composto subiu 0,55% hoje, a 3.004,88 pontos, ultrapassando a marca psicológica dos 3 mil pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 1,20%, a 1.669,85 pontos.

Dados mostraram que o preço médio de moradias chinesas caiu em ritmo mais fraco na comparação mensal de janeiro. No confronto anual, porém, a queda nos preços foi mais forte no mês passado do que em dezembro, expondo os desafios de Pequim na tentativa de reverter a persistente crise no setor imobiliário da China.

Ainda entre as bolsas asiáticas, as bolsas da Coreia do Sul e de Taiwan registraram altas modestas: o Kospi avançou 0,13% em Seul, a 2.667,70 pontos, e o taiwanês Taiex subiu 0,19%, a 18.889,19 pontos. Na contramão das bolsas asiáticas, o Hang Seng teve ligeira baixa de 0,10% em Hong Kong, a 16.725,86 pontos, interrompendo uma sequência de três sessões positivas.

No Japão, não houve negócios hoje em função de um feriado, um dia após o Nikkei saltar para nova máxima histórica de fechamento.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul pelo segundo dia consecutivo, com ajuda do setor de tecnologia. O S&P/ASX 200 garantiu avanço de 0,43% em Sydney, a 7.643,60 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Bolsas da Europa operam sem direção única, após balanços e indicadores da Alemanha

As bolsas europeias operam sem direção única na manhã desta sexta-feira (23), após recorde do Stoxx 600 ontem, enquanto investidores digerem mais balanços corporativos da região e dados da Alemanha.

Por volta das 6h30 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 tinha alta marginal de 0,04%, a 495,31 pontos, depois de fechar em máxima histórica no pregão anterior.

Balanços trimestrais da Europa seguem no radar. O do Standard Chartered agradou, e a ação do banco britânico saltava mais de 8% em Londres, no horário acima. Já em Frankfurt, também após resultados corporativos, as alemãs Allianz (de seguros) caía 3,5% e Basf (da área química) subia 1,3%.

Também na Alemanha, o Destatis confirmou que o PIB da maior economia da União Europeia encolheu 0,3% no quarto trimestre de 2023 antes os três meses anteriores, enquanto o índice Ifo de sentimento das empresas avançou levemente em fevereiro, a 85,5 pontos, vindo em linha com a previsão de analistas.

Às 6h48 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,09%, a de Paris avançava 0,19% e a de Frankfurt se mantinha estável. Já a de Milão exibia alta de 0,67%, enquanto as de Madri e Lisboa caíam 0,41% e 0,15%, respectivamente.

O comportamento misto dos mercados europeus vem também após um dia de recordes em Wall Street, em um rali deflagrado pelo entusiasmo com o último balanço da Nvidia, fabricante de chips americana que está no centro da onda de inteligência artificial (IA).

*Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Giovanni Porfírio Jacomino

Compartilhe sua opinião