Black Friday: Preços maquiados e “Black Fraude” diminuem intenção de compra, diz Reclame Aqui

O Instituto Reclame AQUI questionou 31.367 consumidores sobre suas intenções para a Black Friday deste ano, nos últimos dias, de 8 a 11 de novembro, e 43% deles responderam que consideram o dia de megapromoções uma “Black Fraude”, com preços maquiados em vez de promoções verdadeiras.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home.png

Segundo o levantamento, 53% dos brasileiros não tem planos de fazer compras nesta Black Friday, contra 47% que se mantém positivos em relação ao evento.

“Agora, praticamente às vésperas da Black Friday, notamos um crescimento no percentual de participação na promoção, o que é natural, por conta do aquecimento que as lojas começam a fazer” avalia Felipe Paniago, Chief Marketing Officer (CMO) do Reclame AQUI.

Dos que pretendem fazer compras, cerca de 72% deles estão monitorando os preços por um período de 1 a 6 meses. Já os que não pretendem adquirir nada alegam os seguintes motivos:

  • Os preços são “maquiados”, não tem promoções de verdade 22,3%
  • Não confia na promoção, é uma ‘Black Fraude‘ 21,6%
  • Está endividado 10,5%
  • Não precisa de nenhum produto novo 18,6%
  • Não vale a pena, está tudo muito caro por conta da pandemia 9,3%
  • Orçamento apertou! Este ano não tem dinheiro 14,1%
  • Já aproveita promoções durante o ano todo 3,6%

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

De acordo com Paniago, as empresas melhoraram nos últimos anos em relação às promoções oferecidas aos consumidores, mas “a julgar pela Black Friday de 2020, que foi a ‘Black Friday do atendimento’, já que descontos não vieram, este ano o consumidor tem uma expectativa maior em relação a preço”.

E-commerce e crédito são as principais escolhas para a Black Friday

Somente 8,9% das pessoas pretendem fazer comprar em loja física nesta Black Friday, todos os demais respondentes se dividiram entre apps (26,8%), e-commerce (41%), redes sociais (5,4%), WhatsApp (2,4%) e live commerces (1,9%).

Ao questionar os consumidores sobre o pagamento das compras feitas na Black Friday, 63,9% deles responderam ao Reclame AQUI que pretendem usar o cartão de crédito. Somente 19,9% indicam a opção de boleto ou débito na hora de comprar.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

A perspectiva de gastos está alta para esse ano. Cerca de 47% dos respondentes planejam gastar de R$ 1 mil para mais de R$ 3 mil. O restante está abaixo da faixa de R$ 1 mil, com destaque para “até R$ 200”, com 9,4% dos respondentes.

Dentre as aquisições mais visadas, a pesquisa mostra os seguintes interesses:

  • TV 7,9%
  • Telefones celulares 10,1%
  • Videogame (jogos, consoles…) 4%
  • Roupas e calçados 13,6%
  • Alimentos e bebidas 5,1%
  • Linha branca de eletrodomésticos 10,9%
  • Eletrônicos (notebooks, caixas de som…) 14,4%
  • Produtos de beleza 7%
  • Decoração/itens para casa 8,9%
  • Outros 18,1%

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Atenção na hora das compras

Para o CMO do Reclame AQUI, o consumidor precisa estar de olhos bem abertos neste ano. Ele destaca que por conta da inflação alta, os produtos importados ou que usam matéria-prima importada estão cada vez mais caros.

“É importante saber identificar bem o que é uma maquiagem de preço mesmo e o que é alto valor por reflexo da inflação”, diz, em nota.

O executivo acredita que as pessoas estão mais conscientes do valor do seu dinheiro e por isso não fazem mais compras banais. “As empresas evoluíram muito em Black Friday desde a primeira edição, mas quem mais evoluiu foi o consumidor.”

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2021/09/960x136-1-1.png

Monique Lima

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno