Arezzo (ARRZ3) e Grupo Soma (SOMA3): Citi reitera compra, mas reduz preço-alvo das ações; entenda os motivos

O Citi reiterou recomendação de compra para a Arezzo (ARZZ3) e Grupo Soma (SOMA3) antes dos resultados do primeiro trimestre de 2024 (1T24). Segundo o banco, a fusão está próxima de ser concluída e ambas as ações estão sendo negociadas com assimetria positiva. 

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-Dkp-1.png

No entanto, ajustando-se à expectativa de uma empresa combinada e em resposta a condições desafiadoras no curto prazo, a casa cortou os preços-alvos das ações.

A nova projeção de preço para as ações da Arezzo (ARZZ3) é de R$ 72, abaixo dos R$ 84 anteriores, o que representa um potencial de valorização de 35%. Para o Grupo Soma (SOMA3), o novo preço-alvo é de R$ 8,70, ante os R$ 9,50 anteriores, implicando um potencial de alta de 38% em relação ao último fechamento do mercado.

“O risco de queda [dos papéis] parece limitado, enquanto o potencial de valorização é enorme nesses múltiplos”, afirma o Citi. O banco diz que o cenário desafiador que o setor têxtil enfrentou neste começo do ano já está refletido nos preços das ações.

Sobre projeções futuras, o banco prevê que as companhias tendem a apresentar crescimento a partir do segundo trimestre (2T24), impulsionadas por sinergias operacionais e economias tributárias.

Por fim, os analistas do Citi observam que o mercado está avaliando a nova marca resultante da união entre Arezzo e Soma de forma conservadora, com suposições como impostos mais altos, crescimento mais lento e falta de sinergias.

No entanto, eles argumentam que a combinação das sólidas trajetórias e portfólio premium das empresas justifica uma avaliação mais otimista, o que pode resultar em resultados mais sólidos neste ano.

Arezzo e Grupo Soma: empresas perdem R$ 2,5 bi em valor de mercado

Dois meses após o anúncio da fusão entre Arezzo e Grupo Soma anunciada em 31 de janeiro, as empresas vêm enfrentando dificuldades em convencer investidores dos ganhos do negócio do que em cravar a tendência da próxima estação, segundo a coluna do Broadcast/Estadão.

À época do anúncio, lembra a publicação, a Arezzo avalia R$ 6,97 bilhões, enquanto o valor de mercado do Grupo Soma era de R$ 6,05 bilhões. Atualmente, a Arezzo vale R$ 5,7 bilhões – mesmo tendo se tornado uma empresa bem maior – enquanto o Grupo Soma, incorporado, perdeu quase 20% de seu valor de mercado e vale R$ 4,85 bilhões.

Entre os motivos, diz o Broadcast, estão dúvidas quanto à capacidade de integração das companhias, questionamentos sobre a saúde da operação da Hering (comprada pelo Soma em 2021) e o endividamento da empresa.

Vale lembrar que o Grupo Soma adquiriu a Hering há quase três anos. Em abril de 2021, a companhia pagou R$ 5,1 bilhões pela concorrente, com o objetivo de formar o que é chamado de “house of brands” e se tornar uma grande gestora de marcas desejadas pelos consumidores – desde então, o valor de mercado do Soma caiu quase 60%, ressalta a coluna.

A Arezzo também tentou adquirir a Hering 11 dias antes do Grupo Soma, por R$ 3,2 bilhões.

Fusão vai desbloquear valor e impulsionar ações em 40%

Em relatório recente, o Itaú BBA atualizou as suas estimativas para Arezzo e Grupo Soma, avaliando que a fusão entre as duas empresas tende a desbloquear valor em termos de sinergias.

“Vemos um potencial significativo para desbloquear valor com o acordo em termos de sinergias, mas o potencial de valorização é tão alto nos preços atuais que nem precisamos considerar as sinergias para ver um P/E de 11,3x para 2025”, diz o BBA.

Com base nessa análise, os especialistas estabeleceram um preço-alvo ambicioso para o final de 2024 de R$ 74 por ação para a Arezzo e R$ 9 por ação para o Grupo Soma, representando um potencial de valorização de 37% e 40%, respectivamente.

No relatório, o BBA destacou as preocupações dos investidores após o anúncio da fusão, impulsionadas por três fatores principais. Em primeiro lugar, há a preocupação sobre a complexidade da integração M&A, fundamentada em experiências passadas no setor de varejo. Além disso, existe um ceticismo dos investidores em relação ao potencial de venda cruzada entre as marcas envolvidas na fusão. Por fim, o recente momento de lucro negativo no 1T24 também gera incerteza.

Contudo, o BBA tem classificação de outperform, equivalente à compra, para as duas empresas do varejo.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240.jpg

Cotação

Na tarde desta terça-feira (23), as ações da Arezzo caem 1,83%, cotada em R$ 52. Por sua vez, os papéis do Grupo Soma têm queda de 2,23%, cotados em R$ 6,15.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

Vinícius Alves

Compartilhe sua opinião