Agenda do Dia: Dívida pública, CEO do Bradesco e dados dos EUA

Agenda do Dia: Dívida pública, CEO do Bradesco e dados dos EUA
Fala de Lazari, do Bradesco, é destaque da Agenda do Dia

A Agenda do Dia desta quarta-feira (25) traz indicadores econômicos e a participação de figuras importantes do mercado em eventos públicos, como o CEO do Bradesco (BBDC4), Octavio de Lazari, que vai falar em evento às 19h sobre os desafios dos bancos de varejo brasileiros.

Além disso, a agenda do dia terá o relatório mensal da dívida pública do Tesouro Nacional, às 14h30, e o fluxo cambial semanal. Chamam anteção ainda a fala do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em evento virtual às 16h.

No mês passado, o Tesouro Nacional informou que a Dívida Pública Federal (DPF), que inclui débitos do governo no Brasil e no exterior, registrou um crescimento de 2,59% em setembro deste ano ante o mês de agosto, para R$ 4,527 trilhões.

Agenda do dia traz dados econômicos nos EUA

No exterior, o mercado acompanha a ata da reunião do FOMC, do Federal Reserve, às 16h, sobre a política econômica dos Estados Unidos. Outro destaque é a divulgação do número de pedidos de seguro-desemprego semanal nos EUA, às 10h30, e do Produto Interno Bruto (PIB) trimestral do país, no mesmo horário.

Ainda nos Estados Unidos, os investidores monitoram, na agenda do dia, as vendas de casas novas e a variação dos estoques de petróleo.

BCE traça perspectivas na Europa

Nesta manhã, foi divulgado o Relatório de Estabilidade Financeira do Banco Central Europeu (BCE), sinalizando que os resultados dos bancos europeus não devem retornar aos níveis vistos pré-pandemia antes de 2022.

De acordo com o documento, os bancos da região têm sofrido para assegurar os lucros durante toda a última década, depois da crise global de 2008. No entanto, a crise do coronavírus agravou o problema, pressionando ainda mais os resultados, destacou a CNBC.

A expectativa é de um ROE de 1,7% neste ano, seguido por ROE de 3,1% e 5% em 2021 e 2022, respectivamente. O ROE dos bancos da zona do euro era de cerca de 6% em junho de 2019, de acordo com os dados do BCE.

A Agenda do Dia também destaca a divulgação mensal dos investimentos estrangeiros no Brasil, às 9h.

Natalia Gómez

Compartilhe sua opinião