AGENDA

AES Brasil (AESB3) define payout mínimo de 50% a partir de 2022

AES Brasil (AESB3) define payout mínimo de 50% a partir de 2022
AES Brasil (AESB3). Foto: Reprodução Facebook.

A AES Brasil (AESB3) definiu a política de distribuição de ao menos 50% do lucro líquido ajustado do exercício social a partir de 2022. A informação foi divulgada por meio de um comunicado ao mercado na noite da última sexta-feira (11).

A AES Brasil disse, ainda, que buscará manter a prática vigente até o momento de distribuir 100% ou mais do lucro líquido ajustado, sempre que justificável, “considerado o plano de crescimento e a manutenção do equilíbrio financeiro da companhia”.

A decisão foi tomada na última semana e tem prazo de duração indeterminado. Os dividendos terão periodicidade semestral.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

A aprovação da política se dá, segundo a empresa, no contexto da entrada da AES Brasil no Novo Mercado, mais alto nível de governança corporativa da B3, e com visão às práticas ligadas ao ESG.

No mês passado, a empresa distribuiu R$ 67,9 milhões em dividendos, o equivalente a R$ 0,17036252099 por ação.

AES Brasil é impactada por crise hídrica

Em meio à crise hídrica que assola o Brasil, AES Brasil e Cesp (CESP6) devem ser as mais impactadas, segundo a XP. O segmento do setor elétrico mais afetado pela falta de chuvas no País é o de geração, que contempla essas duas companhias.

Elas tiveram redução na produção de energia elétrica no primeiro trimestre, em 21% e 22%, respectivamente. “Isso ilustra que o impacto do déficit hídrico já é uma realidade para algumas geradoras, principalmente as localizadas em regiões mais afetadas”, diz a XP.

A tendência é de piora no nível dos reservatórios nos próximos meses, comenta a corretora, pois o fim de abril marca o fim do período úmido no Sudeste e Centro-Oeste. “Sazonalmente, já se espera que o armazenamento de águas se reduza entre maio e outubro.”

Mesmo com o cenário desafiador, a XP não mudou a recomendação de nenhuma companhia. O preço-alvo para as ações da AES Brasil continua sendo de R$ 18, e para a Cesp de R$ 36, com a indicação de compra para ambas as empresas.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião