AGENDA

Zona do euro: ‘Inflação não nos preocupa’, diz Lagarde

Zona do euro: ‘Inflação não nos preocupa’, diz Lagarde
Zona do euro. Foto: Pixabay

A inflação na zona do euro deve subir mais no segundo semestre deste ano e então cair conforme fatores temporários perderem força, informou a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde nesta quinta-feira (10).

De acordo com Lagarde, a inflação na zona do euro subiu a 2% em maio deste ano em função do aumento nos preços da energia no ritmo mais forte desde o final de 2018. O resultado foi acima da meta do Banco central Europeu de “abaixo mas perto de 2%”.

Segundo a Reuters, economistas consultados pelo jornal esperam que a inflação na região fique em 1,8% em 2021. Enquanto em 2022, deve cair a 1,3% e em 2023, 1,5%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

BCE mantém juros e promete seguir comprando bônus em ritmo mais acelerado

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu deixar sua política monetária inalterada após reunião concluída nesta quinta-feira, 10, como se previa, e reiterou que continuará comprando bônus em ritmo “significativamente” mais rápido do que no começo do ano.

As principais taxas de juros do BCE, a de refinanciamento e a de depósitos, permaneceram em 0% e -0,50%, respectivamente. Além disso, o BCE manteve o volume de seu Programa de Compras de Emergência na Pandemia (PEPP, na sigla em inglês) em 1,85 trilhão de euros.

Segundo o BCE, o PEPP poderá ser “recalibrado”, se necessário, mas talvez não seja utilizado integralmente se as condições de financiamento forem favoráveis. As compras ocorrerão de maneira flexível para evitar eventual aperto nas condições, acrescentou a instituição. Em março, o BCE decidiu acelerar as compras de ativos por meio do PEPP.

O BCE também deixou inalterado o tamanho do Programa de Compras de Ativos (APP, na sigla em inglês), em 120 bilhões de euros, a um ritmo mensal de 20 bilhões de euros. As compras do APP serão realizadas “pelo tempo que for necessário”, reafirmou a autoridade monetária.

Veja Também: BCE: “retomada na economia foi encorajadora, mas pandemia segue como desafio”

Em comunicado, o BCE reafirmou ainda que o período de vigência do PEPP irá “pelo menos” até o fim de março de 2022. A instituição voltou a ressaltar, porém, que as compras do PEPP continuarão até que a crise da covid-19 seja superada.

O BCE reafirmou também que os juros básicos vão continuar nos níveis atuais ou menores “até que a perspectiva de inflação convirja de forma robusta” para sua meta, que é de uma taxa ligeiramente inferior a 2%, e que está disposto a ajustar todos os seus instrumentos, se necessário.

Com informações do Estadão Conteúdo

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião