VILG11: calote da Tok&Stok chega ao fim e provoca decisão judicial; saiba mais

Após a Tok&Stok depositar em juízo R$ 2 milhões referentes ao aluguel atrasado do Extrema Business Park I, imóvel que pertence ao portfólio do fundo imobiliário VILG11, a Justiça bateu o martelo e extinguiu a ação de despejo iniciada pelos gestores do fundo.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/06/Lead-Magnet-1420x240-3.png

Segundo o relatório gerencial do VILG11, apresentado ao mercado na segunda (8), o fim da empreitada judicial contra a varejista de móveis ocorreu no dia 3 de abril.

“Vale ressaltar que a Tok&Stok está adimplente com o contrato, tendo depositado normalmente na conta do fundo os aluguéis competências fevereiro, março e abril de 2023, com respectivos vencimentos em março, abril e maio de 2023”, comentaram os gestores do VILG11.

Porém, de acordo com o documento, esse valor devido pela Tok&Stok e depositado em juízo ainda não foi repassado ao fundo imobiliário.

“No dia 27 de março de 2023, o fundo requereu o imediato levantamento dos valores que estão depositados na conta judicial. Com a assessoria de seus advogados, o fundo está tomando as medidas cabíveis junto ao Judiciário para que possa contar com os valores em caixa assim que possível”, complementaram os profissionais.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Minicurso-FIIS.png

VILG11: O que esperar?

De acordo com os gestores do VILG11, o fundo encerrou abril com 156.312 cotistas e um valor de mercado de cerca de R$ 1,4 bilhão.

Além disso, os especialistas apresentaram uma projeção do que o investidor pode esperar dos dividendos do VILG11 ao longo do segundo trimestre deste ano:

A gestão do fundo estima que o rendimento mensal distribuído no segundo trimestre de 2023 se situe entre R$ 0,65 e R$ 0,72 por cota. A nova faixa de rendimento será adotada até que a gestão conclua a comercialização dos espaços disponíveis no portfólio, principalmente nos ativos Caxias Park e Fernão Dias Business Park. A rentabilidade esperada não representa e nem deve ser considerada, a qualquer momento e sob qualquer hipótese, como promessa, garantia ou sugestão de rentabilidade futura.

Por volta das 15h30 do Ibovespa hoje, as cotas do VILG11 eram negociadas em queda de 0,32%, aos R$ 97,94.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

Erick Matheus Nery

Compartilhe sua opinião