Vendas no varejo decepcionam e recuam 1,3% em setembro

Vendas no varejo decepcionam e recuam 1,3% em setembro
Setor de Varejo. Foto: Pixabay

As vendas do varejo caíram em 1,3% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal, segundo dados recentes divulgados nesta quinta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado do varejo veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde uma queda de 2,0% a alta de 1,3%, mas ficou abaixo da mediana, que era negativa em 0,6%.

Na comparação com setembro de 2020, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram baixa de 5,5% em setembro de 2021. Nesse confronto, as projeções iam de uma queda de 6,4% a 1,5%, com mediana negativa de 4,0%.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 3,8% no ano e alta de 3,9% em 12 meses.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 1,1% em setembro ante agosto, na série com ajuste sazonal.

O resultado veio dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam desde um recuo de 2,5% a avanço de 1,4%, com mediana de estabilidade (0,0%).

Na comparação com setembro de 2020, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram baixa de 4,2% em setembro de 2021. Nesse confronto, as projeções variavam de uma redução de 6,3% a elevação de 0,2%, com mediana negativa de 2,8%.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 8,0% no ano e aumento de 7,0% em 12 meses.

O índice de média móvel trimestral das vendas do comércio varejista restrito teve queda de 0,9% em setembro, segundo o IBGE. No varejo ampliado, o índice de média móvel trimestral das vendas registrou redução também de 0,9% em setembro.

Revisões

O IBGE revisou o resultado das vendas no varejo em agosto ante julho, de uma queda de 3,1% para recuo de 4,3%. No varejo ampliado, a taxa de agosto ante julho foi revisada de um recuo de 2,5% para queda de 3,0%.

Retração do varejo surpreende especialistas

O recuo de -1,3% do varejo foi uma “surpresa” segundo o economista da Ativa Investimentos, Guilherme Sousa, que frisa a expectativa de queda de -0,6% por parte do mercado.

Além disso, as ampliadas também recuaram além do esperado, para -1,1%.

“Dentre as atividades que surpreenderam em setembro, destacamos os Equipamentos para Materiais de escritórios (-3,6%) e os Móveis e Eletrodomésticos (-3,5%)”, analisa.

Apesar disso, as estimativas para o crescimento econômico têm se mantido na casa.

“Nós da Ativa não alteramos a perspectiva de PIB e ainda esperamos alta de 4,5% para 2021, apesar do viés baixista, aguardaremos os dados da PMS (maior relevância no PIB), amanhã dia 12, para melhor avaliar a estimativa de crescimento do país”, diz Sousa sobre os dados do varejo.

Com informações do Estadão Conteúdo

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!