Varejistas dos EUA decepcionam mercado e encolhem US$ 10 bilhões

Varejistas dos EUA decepcionam mercado e encolhem US$ 10 bilhões
Varejistas. Foto: Pixabay

As grandes varejistas dos Estados Unidos encolheram US$ 10 bilhões em valor de mercado antes da Black Friday. Segundo a agência de notícias Bloomberg, isso é explicado pela queda das ações após a divulgação dos balanços que desapontaram os investidores.

Entre as grandes varejistas analisadas está a Nordstrom que ontem chegou a ter queda de 30% na Bolsa de Nova York, a maior desde 1983, o que eliminou os ganhos conquistados no ano. Os investidores haviam vendido cerca de US$ 1,5 bilhão em ações da Nordstrom.

Já a Gap teve uma perda ainda maior de aproximadamente US$ 2 bilhões em valor de mercado. E, após dois dias de queda, a Dick’s Sporting Goods enxugou US$ 1,4 bilhão, enquanto que a Abercombrie & Fitch encolheu em US$ 450 milhões.

Mas o maior destaques entre as varejistas foi a Best Buy que perdeu, aproximadamente US$ 5,2 bilhões em valor de mercado desde a divulgação do seu resultado.

Apesar das grandes varejistas dos EUA encolherem US$ 10 bilhões o principal índice de varejo da S&P 500 ainda mostra alta puxado pela Guess que chegou a subir 16% na quarta-feira e a Dollar Tree com alta de 9%, após publicarem balanço.

Veja o balanço das varejistas dos EUA

A Nordstrom divulgou ganhos que ficaram aquém das expectativas dos analistas, já que os custos trabalhistas afetaram os lucros e as vendas.

O lucro líquido subiu para US$ 64 milhões, ou 39 centavos por ação, de US$ 53 milhões, ou 34 centavos por ação, um ano antes. Os analistas esperavam um lucro por ação de 56 centavos de dólar, de acordo com uma pesquisa da Refinitiv.

Já a Gap informou ao mercado que perdeu US$ 300 milhões em vendas no início da temporada de férias por causa dos fechamentos de fábricas por causa da pandemia e com os atrasos nos portos que paralisaram significativamente sua capacidade de colocar mercadorias nas lojas a tempo.

Já a Best Buy teve o lucro por ação a US$ 2,08 e a receita do terceiro trimestre alcançou US$ 11,9 bilhões.

As varejistas estão sob pressão para manter as prateleiras abastecidas para o final do ano, com problemas de transporte, fábricas fechadas na Ásia e a escassez de matéria-prima afetando as cadeias de abastecimento globais.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião