Primeiro lote da vacina da Pfizer chega em 15 de dezembro nos EUA

Primeiro lote da vacina da Pfizer chega em 15 de dezembro nos EUA
Primeiro lote da vacina da Pfizer chega em 15 de dezembro nos EUA

Os Estados Unidos receberão os primeiros lotes da vacina contra o novo coronavírus (covid-19) da Pfizer e BioNTech no dia 15 de dezembro. A informação é do documento Operação Warp Speed, programa do governo norte-americano que reúne farmacêuticas para agilizar o processo de produção de vacinas nos EUA, obtido pela CNN.

Segundo o documento, o Comitê de Controle de Vacinas e outro Produtos Biológico (VRBPAC) irá acontecer em 10 de dezembro, cinco dias antes das primeiras remessas. Esse será o período em que o comitê irá analisar o produto antes da distribuição.

Ademais, conforme o texto, está previsto a produção de 22 milhões de doses do imunizante da Pfizer e BioNTech.

Reino Unido autoriza uso emergencial da vacina da Pfizer

Enquanto os EUA estão na espera das doses, o Reino Unido já anunciou nesta quarta-feira (2) a autorização para o uso emergencial do imunizante contra o coronavírus.

O anúncio foi feito pelo Ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, que prevê o inicio da vacinação na próxima semana. “O Reino Unido é o primeiro no mundo a ter uma vacina clinicamente aprovada para fornecimento”, escreveu o Ministro em seu Twitter.

A aprovação “é resultado de meses de ensaios clínicos rigorosos e de uma análise profunda dos dados por parte de especialistas, que concluíram que a vacina respondia às normas estritas de segurança, qualidade e eficácia”, completou o Hancock.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, também publicou em seu Twitter afirmando que “é a proteção das vacinas que nos permitirá recuperar nossas vidas e fazer a economia andar novamente”.

“A autorização no Reino Unido marca um momento histórico na luta contra a covid-19″, afirmou o CEO da Pfizer, Albert Bourla, nesta quarta-feira. Segundo as autoridades britânicas, a vacina terá inicio entre as pessoas prioritárias como idosos, profissionais da área da saúde e pessoas do grupo de risco.

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião