AGENDA

Turismo perderá US$ 2 trilhões em 2021 e variante pode agravar situação, diz OMT

Turismo perderá US$ 2 trilhões em 2021 e variante pode agravar situação, diz OMT
Caribe teve a menor perda de PIB no turismo na América Latina, com queda de 35% na movimentação - Foto: Pixabay

Em 2021 o segmento de turismo, já penalizado pela pandemia desde os primeiros meses de 2020, deve perder uma cifra de US$ 2 trilhões em escala global, segundo dados da Organização Mundial do Turismo (OMT).

O prejuízo para o setor é semelhante ao que foi visto em 2020. Contudo, com o surgimento da nova variante – a ômicron – o setor de turismo corre ainda mais riscos na reta final.

A OMT lembra que, apesar das melhoras recentes no segmento, as taxas de vacinação desiguais no mundo e as novas variantes de covid-19 poderão ter grande impacto sobre uma recuperação já ‘lenta e frágil’.

A entidade realiza nesta terça (30) a sua assembleia anual em Madri, e também destaca que o panorama de preço do petróleo e a crise da cadeia de suprimentos devem penalizar mais o setor em detrimento dos seus pares.

Os números mais recentes mostram que as chegadas de turistas internacionais em 2021 deverão continuar entre 70% e 75% inferiores aos níveis de 2019, antes da pandemia.

Somente na América do Sul, até setembro deste ano, a queda da contração no turismo internacional era de 85%, também comparado a 2019 – sendo que o Caribe é a exceção, com recuo de 35% no mesmo comparativo.

“Comunicação eficaz para restabelecer a confiança entre consumidores”

Além da perda da cifra para o Produto Interno Bruto (PIB) do setor, a OMT vê um volume entre US$ 700 bilhões e US$ 800 bilhões – um corte em mais da meta do US$ 1,7 trilhão visto no ano de 2019.

A OMT defende a tese de que a retomada do turismo internacional com toda segurança continuará a depender amplamente de uma resposta coordenada ente as lideranças dos países que possuem restrições de viagens, protocolos de segurança e de higiene.

Além disso, a entidade frisa que será necessária uma ‘comunicação eficaz para restabelecer a confiança entre consumidores’, considerando que algumas regiões do globo se sobressaem em termos de infecções.

Por sua vez, a Iata, associação que reúne as companhias aéreas, divulgou nota sobre o panorama do turismo reclamando que “os governos estão respondendo aos riscos da nova variante em modo de emergência, causando medo entre o público viajante”.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!