TIM (TIMS3): lucro sobe 4,3% no 1T23 e atinge R$ 437 milhões

No primeiro trimestre de 2023 (1T23), a TIM (TIMS3) apresentou um lucro líquido normalizado de R$ 437 milhões, um crescimento de 4,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. De acordo com o release de resultados, o chamado critério “normalizado” exclui itens não recorrentes, créditos fiscais ou sem efeito sobre o caixa.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home.png

Sem considerar esses ajustes, o lucro líquido reportado foi de R$ 412 milhões, o que corresponde a um aumento de 1,7% na mesma base de comparação.

O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) normalizado da TIM no 1T23 teve um crescimento de 23% em relação ao mesmo período de 2022, alcançando R$ 2,612 bilhões. Já a margem EBITDA normalizada apresentou uma queda de 3,9 pontos percentuais, chegando a 46,0%.

A receita líquida normalizada da TIM no 1T23 teve um aumento de 20,2% na comparação anual, totalizando R$ 5,681 bilhões, com maior faturamento dos negócios móveis e fixos. A receita de serviço móvel apresentou um crescimento de 21,1%, influenciada pela aquisição dos ativos móveis da Oi (OIBR3) e pela consistente performance da companhia em executar a abordagem de “volume-para-valor”.

A receita de serviço fixo teve um aumento de 6,0%, impulsionada pela TIM UltraFibra, que cresceu 9,4%, focando na expansão do FTTH (Fiber-to-the-home). A receita de produtos aumentou 21,0%, devido a uma melhora na venda de aparelhos celulares e outros dispositivos eletrônicos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Mais números da TIM

Os custos operacionais da TIM tiveram alta de 17,9% no 1T23, chegando a R$ 3,069 bilhões, e a linha de depreciação e amortização de ativos cresceu 27%, totalizando R$ 1,777 bilhão. A linha foi negativamente influenciada pela aquisição dos ativos da Oi.

O resultado financeiro, que é o saldo entre receitas e despesas financeiras, gerou uma despesa de R$ 223 milhões, 9,9% menor do que o resultado do mesmo período de 2022. Os gastos com imposto de renda e contribuição social triplicaram, totalizando R$ 156 milhões, explicados principalmente pela não declaração de juros sobre capital próprio.

Ao todo, os investimentos da TIM no 1T23 somaram R$ 1,289 bilhão, o que representa uma queda de 3%. No comparativo anual, o resultado financeiro líquido foi negativo em R$ 223 milhões, mas houve uma melhora de R$ 25 milhões em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Ainda segundo a TIM, os custos e despesas operacionais normalizados totalizaram R$ 3,069 bilhões, um crescimento de 17,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. A alta foi impactada, principalmente, pelos custos temporários relacionados à administração da base de clientes adquirida durante o processo de migração da Oi e pelos gastos adicionais decorrentes da expansão da infraestrutura.

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

Janize Colaço

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno