Telefônica (VIVT4) estuda aquisição de provedores regionais

Telefônica (VIVT4) estuda aquisição de provedores regionais
Telefonica. Foto: Reprodução Facebook

O presidente da Telefônica Brasil (VIVT4), Christian Gebara, informou nesta sexta-feira (30) que a empresa estuda a possibilidade de comprar provedores regionais. A ideia da companhia é crescer no mercado de banda larga fixa via fibra ótica.

Após a empresa ter divulgado na última terça-feira (27) seus resultados no segundo trimestre, Gebara declarou em conversa com jornalistas que essas possíveis aquisições poderiam ser realizadas por meio da FiBrasil, empresa que concentra a infraestrutura ótica da Telefônica.

A companhia informou ainda prever que o negócio com a FiBrasil pode trazer um impacto positivo de R$ 225 milhões no caixa da operadora e de mais R$ 1,5 bilhão nos anos seguintes.

Ao ser questionado sobre possíveis aquisições para que a Telefônica cresça, o executivo revelou que é necessário analisar tanto a qualidade como o custo dos ativos.

“Com certeza, com esse veículo, com essa empresa, a FiBrasil, vamos poder analisar, sim, alguns ativos disponíveis no mercado, sempre que a qualidade do ativo seja a qualidade que a gente requer e aqui eu me refiro à qualidade financeira, fiscal e técnica. E que o custo desse ativo seja competitivo versus o nosso custo de construir essa rede”, explicou o executivo.

Telefônica tem alta de 20,9% no lucro líquido no 2T21

A Telefônica Brasil divulgou na terça-feira (27) seus resultados no segundo trimestre desse ano. A controladora da Vivo viu seu lucro líquido crescer 20,9% em comparação com o mesmo período do ano passado, para R$ 1,345 bilhão.

No primeiro semestre, o lucro líquido da Telefônica somou R$ 2,287 bilhões, o que representa uma alta de 0,9% em comparação com o lucro apurado no segundo trimestre de 2020.

Entre abril e junho desse ano, a receita operacional líquida da companhia somou R$ 10,649 bilhões, o que equivale a um salto de 3,2% na comparação ano a ano. Já no semestre, houve um avanço de 1,7%, para R$ 21,498 bilhões na mesma base comparativa.

O documento mostra que a receita líquida móvel subiu 5,6% no ano, para R$ 6,990 bilhões.

Por sua vez, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Telefônica finalizou o trimestre em R$ 4,226 bilhões, crescendo 3% ante o segundo trimestre do ano passado. Já no primeiro semestre, o indicador avançou 1,7%, para R$ 8,681 bilhões.

De acordo com o documento, as ações da Telefônica (VIVT3) encerraram o segundo trimestre com uma desvalorização de 5% em relação ao preço de fechamento de março desse ano.

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores FIIS

Baixar agora!