Telefonica (VIVT3) fecha acordos para construção de rede de fibra ótica neutra

Telefonica (VIVT3) fecha acordos para construção de rede de fibra ótica neutra
Telefonica. Foto: Reprodução Facebook

A Telefônica Brasil – Vivo (VIVT3) fechou acordos com a Caisse de dépôt et placement du Québec (CDPQ) e com a Telefônica Infra, para a construção, desenvolvimento e exploração de rede de fibra ótica neutra e independente de atacado no mercado brasileiro por meio da FiBrasil. A informação foi divulgada nesta terça-feira (2), através de fato relevante.

Através desta transação, a Telefônica Brasil, a Telefônica Infra e a CDPQ devem acelerar a expansão da rede fiber-to-the-home (FTTH) para novas localidades. Segundo o documento arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a o plano de negócios da FiBrasil visa alcançar, aproximadamente, 5,5 milhões de lares em 4 anos, com foco nas cidades médias fora do Estado de São Paulo.

Além disso, a Telefônica Brasil deve contribuir com 1,6 milhão de casas passadas em FTTH e será cliente âncora da nova empresa, “consolidando-se assim como operador líder convergente no país”.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

Já em relação à estrutura acionária da nova companhia, a Vivo e a Telefônica Infra terão, cada uma, 25% do capital social votante, ao passo que a CDPQ deterá os outros 50% do capital social votante, após a compra e venda e subscrições de ações da FiBrasil.

“Os termos da Operação representam um investimento total pela CDPQ de até R$1,8 bilhão (incluindo pagamentos para a Vivo e contribuições para a FiBrasil) em troca de uma participação de 50% na FiBrasil e também pagamentos a serem feitos pela TEF Infra, em condições econômicas equivalentes, por uma parcela de 25% na nova companhia”, aponta o documento.

Última cotação da Telefônica

A ação da Telefônica Brasil, negociada na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) sob o ticker ‘VIVT3‘, encerrou a sessão desta terça-feira em alta de 0,39%, valendo R$ 43,48. No ano, os papéis da empresa têm queda de 6,68%, frente ao fechamento de R$ 46,59 em dezembro.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!