AGENDA

S&P 500 sobe 0,75%, com vendas no varejo acima das expectativas

S&P 500 sobe 0,75%, com vendas no varejo acima das expectativas
S&P 500

O S&P 500 fechou em alta nesta sexta (15), acompanhando as outras bolsas de Nova York com o impulso dado pela divulgação dos balanços corporativos nos EUA. O Goldman Sachs (GSGI34) aumentou a lista de bancos americanos que divulgaram lucros maiores que as expectativas do mercado no terceiro semestre. A surpreendente expansão de vendas do varejo também influenciou os índices.

O índice Dow Jones fechou com ganhos de 1,09%, aos 35.294,76 pontos, o S&P 500 subiu 0,75%, aos 4.471,37 pontos, e o Nasdaq teve alta de 0,50%, aos 14.897,34 pontos. Na semana, os avanços foram de 1,58%, 1,82% e 2,18%, respectivamente.

A exemplo do rali de ontem, os índices acionários em Wall Street seguiram impulsionados pela temporada de balanços nos EUA, que hoje contou com resultados do Goldman Sachs e outras instituições financeiras. Nesta semana, o lucro líquido do banco no terceiro trimestre de 2021 superou com folga a estimativa de analistas. Entre eles:

  • Goldman Sachs (GSGI34), +3,80%
  • JPMorgan (JPMC34), +1,92%
  • Citigroup (CTGP34), com +2,10%
  • Bank of America (BOAC34),com +2,88%

Ainda entre bancos, o Wells Fargo (WFCO34), que também divulgou resultados esta semana, disparou 6,78%, após sua ação ter recuado ontem por causa da receita menor no trimestre passado, em relação ao mesmo período de 2020.

Além dos balanços, investidores acompanharam a divulgação de dados macroeconômicos nos EUA, sendo as vendas no varejo de setembro o principal deles. O indicador mostrou avanço inesperado de 0,7% ante o resultado de agosto, e ressaltou a resiliência do setor, apesar das incertezas referentes aos gargalos na cadeia produtiva, segundo o Wells Fargo.

Já a Capital Economics é menos otimista. A consultoria britânica notou, em relatório, que o consumo real nos EUA parece ter desacelerado fortemente no terceiro trimestre, apesar do desempenho melhor que o esperado no mês passado. De qualquer forma, o indicador deu tração a papéis de empresas varejistas nos EUA, como Amazon (AMZO34), com +3,31% e Target (TGTB34), com +1,43%.

Outro setor de destaque nas bolsas hoje foi o de aviação, diante da notícia de que os EUA vão reabrir suas fronteiras a viajantes internacionais vacinados contra a covid-19 a partir do próximo dia 08. Entre aéreas, a American Airlines (AALL34) teve o maior avanço do dia, de 1,73%. No setor de saúde, a Johnson & Johnson (JNJB34) subiu 0,74%, após o Food and Drug Administration (FDA, a Anvisa dos EUA) endossar a aplicação de uma terceira dose da vacina da empresa, segundo informações da Associated Press.

Com o apetite por risco elevado, indicadores menos positivos nos EUA não tiveram tanta repercussão nos mercados. O índice de sentimento do consumidor medido pela Universidade de Michigan caiu a 71,4 em outubro, e o de atividade industrial Empire State recuou a 19,8 no mesmo mês, ambos abaixo das estimativas.

Cotação do S&P 500 nesta quinta (14)

O S&P 500 encerrou a sessão de ontem em alta, acompanhando os outros índices de Nova York. As bolsas foram impulsionadas pela divulgação dos balanços corporativos das grandes empresas americanas, que tiveram resultado acima das expectativas do mercado. Os dados de emprego e inflação ao produtor nos Estados Unidos também movimentaram as bolsas, seguidos por comentários de dirigentes do Fed (Federal Reserve).

O índice Dow Jones avançou 1,56%, aos 34.912,56 pontos, o S&P 500 subiu 1,71%, aos 4.438,26 pontos, e o Nasdaq ganhou 1,73%, aos 14.823,43pontos.

(Com Agência Estado)

Bruno Galvão

Compartilhe sua opinião