AGENDA

S&P 500 fecha em alta de 0,42%, puxada Fed e balanços

S&P 500 fecha em alta de 0,42%, puxada Fed e balanços
S&P 500. Foto: Karolina Grabowska, por Pexels.

O S&P 500 e outros principais índices da bolsa norte-americana fecharam em alta nesta quinta-feira (29), impulsionadas pela temporada de balanços, além da decisão e comunicado do Federal Reserve (Fed) de ontem e divulgação de resultados econômicos nos Estados Unidos.

O Dow Jones fechou em alta de 0,44%, aos 35.084,53 pontos, e o S&P 500 avançou 0,42%, aos 4.419,15 pontos. Já o Nasdaq subiu 0,11%, aos 14.778,26 pontos.

De acordo com Bruno Madruga, sócio e Head de Renda Variável da Monte Bravo Investimentos, as três principais bolsas fecharam no campo positivo com o mercado americano repercutindo os fortes resultados trimestrais das empresas americanas.

“Hoje tivemos mais um balanço otimista, com a Ford, que veio acima do consenso. Também não podemos esquecer da repercussão do dia de ontem quanto a divulgação do BC americano sobre a política monetária”.

PIB norte-americano e Fed

O crescimento abaixo do esperado do PIB dos Estados Unidos no segundo trimestre divulgado hoje não tirou dos investidores o apetite por risco, diante da percepção de que estímulos à economia americana seguem necessários.

A visão ocorre especialmente após o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, reforçar na quarta (28) a postura acomodatícia da política monetária.

A alta anualizada de 6,5% do PIB americano ficou abaixo da mediana (8,5%) e do piso (7,5%) das estimativas de analistas consultados pelo Broadcast. Na visão da BMO Capital Markets, outra sessão com recordes de ações “reiterou o paradigma atual de ativos de risco com desempenho superior, apesar da pandemia”.

Após o Fed reiterar comprometimento com o tapering e a leitura do PIB, as ações demonstraram capacidade de seguirem subindo, avalia.

“O S&P 500 está desafiando o topo e inclinado para cima” o torna uma base em 4.300 possível, embora haja espaço para os 4.450 nas próximas semanas, projeta a BMO.

Balanços corporativos

A semana é a mais movimentada da temporada de balanços do segundo trimestre, com cerca de um terço das empresas no S&P 500 divulgando resultados, segundo a LPL Markets.

As corporações tiveram “um grande começo, colocando as empresas do S&P 500 em posição de aumentar os lucros do segundo trimestre em até 80% na comparação anual, ante uma taxa de crescimento de 64% esperada quando a temporada de lucros começou”, aponta a consultoria.

Ontem, após o fechamento dos mercados, a Ford registrou desempenho trimestral melhor que o esperado, e sua hoje ação subiu 3,82%. Os resultados do Facebook também foram acima do previsto, mas o papel da empresa recuou 4,01%. Já a Mastercard teve alta de 2,86%, seguindo os resultados trimestrais.

Hoje, após o fim do pregão, Amazon e Gilead apresentam seus balanços. Com a expectativa, as ações recuaram 0,84% e 0,33%, respectivamente.

A Tesla subiu 4,69% depois de apresentar números nesta semana que levaram a uma série de revisões para cima nos preços de seus papéis e recomendações de compra. A montadora observa ainda os avanços para um pacote de infraestrutura nos EUA, que pode aumentar a demanda por veículos elétricos.

Com IPO realizado hoje na Nasdaq, as ações da Robinhood recuaram 8,37%. Já a Didi está considerando fechar o capital a fim de apaziguar as autoridades chinesas e compensar os investidores pelas perdas incorridas desde que a empresa foi listada na Bolsa de Nova York no final de junho. Hoje, seus papéis dispararam 11,16%.

S&P 500: cotação na quarta (28)

Na sessão da quarta-feira (28), o S&P 500 anotou queda de 0,02%, aos 4.400,64 pontos.

Com informações do Estadão Conteúdo

 

Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião

Manual 10 passos essenciais para se tornar um investidor de sucesso. Baixe Grátis!

Baixar agora!