DIVIDENDOS

Em sua estreia, Smart Fit (SMFT3) fecha em alta de 34,78%

Em sua estreia, Smart Fit (SMFT3) fecha em alta de 34,78%
Smart Fit. Foto: Reprodução Facebook

A Smart Fit (SMFT3) encerrou seu primeiro dia de negociações na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) em forte alta. Ao final do pregão dessa quarta-feira (14), a ação da rede de academias estava cotada a R$ 31,00, após uma valorização de 34,78% durante a sessão.

Pela manhã, em sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), a ação da Smart Fit já chamava a atenção do mercado, após abrir com um avanço de 26,35%, negociada a R$ 29,06, por volta das 10h29.

Durante o dia, o preço máximo alcançado pelos papéis foi de R$ 31,86, ao passo que na mínima do dia os ativos atingiram R$ 28,60.

Na última segunda-feira (12), a empresa precificou suas ações em R$ 23, acima do piso da faixa indicativa, que ia de R$ 20 a R$ 25, apresentada no prospecto preliminar arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A operação da rede de academias teve uma demanda 20 vezes superior ao tamanho da oferta em reservas, incluindo os âncoras.

A operação consiste na oferta de 100 milhões de ações primárias. Com a precificação, o IPO movimentou R$ 2,3 bilhões, sendo que todo o montante líquido irá para o caixa da empresa. A Smart Fit visa utilizar os recursos da seguinte forma:

  • Retomada do plano de crescimento de academias Smart Fit (70,1%);
  • Oportunidades de aquisições estratégicas (14,1%)
  • Aquisição de ações da SmartEXP (10,8%);
  • Investimentos em iniciativas para o desenvolvimento e fortalecimento do ecossistema (5,0%).

Raio X da Smart Fit

Atualmente, a rede está presente em 13 países da América Latina e lidera, em número de clientes ativos, no Brasil, México e na região composta por Colômbia, Chile e Peru, operando no segmento high value, low price.

A Smart Fit é a quarta maior rede do mundo em número de clientes — a maior fora dos Estados Unidos — e aquela com maior taxa de crescimento em número de academias próprias no período entre 2014 e 2019.

A companhia possui aplicativos para treino e acompanhamento nutricional através de plataformas de vendas B2C e B2B e disse acreditar ser líder no setor de fitness digital na América Latina. O ecossistema possuía 2,8 milhões de clientes ativos, antes do início da pandemia de Covid-19.

No ano passado, a receita operacional líquida da Smart Fit caiu para R$ 1,256 bilhão, ante R$ 1,984 bilhão, em 2019. O Ebitdo ajustado recuou de R$ 551,297 milhões para R$ 53,829 milhões, na mesma base comparativa.

Laura Moutinho

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se