Veja as 5 small caps que mais caíram em novembro

O SMLL, índice representativo das small caps da bolsa de valores brasileira (B3), caiu 11,23% em novembro e acabou revertendo a valorização obtida em outubro de 7,30%. Assim, o índice terminou o mês com 2.043,59 pontos.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

O índice de small caps apresentou sua pior performance mensal desde junho de 2022, quando, na ocasião, teve uma queda mensal de 16,33%.

O mês de novembro foi marcado por grande volatilidade nos ativos de renda variável, marcando o cenário pós-eleições presidenciais.

Ao final do período, o índice de small caps, o IFIX e o Ibovespa, que são os três principais índices brasileiros da renda variável, acabaram fechando com desempenho negativo.

O índice de small caps começou o mês de novembro aos 2.333,46 pontos e atingiu a máxima de 2.432,44 pontos. Já a mínima mensal foi de 1.981,39 pontos.

No cenário político pós-eleições, ainda movimenta o mercado financeiro as repercussões quanto aos desdobramentos das negociações em torno da aprovação da PEC da Transição, assim como os rumores de quem serão os novos ministros do governo eleito, principalmente o ministério da Fazenda.

As falas de Lula sobre o teto de gastos e o risco fiscal também são temas que estiveram no radar dos investidores em novembro.

A queda do SMLL foi impulsionada por algumas small caps com desempenhos mais negativos. Entre as principais quedas, o destaque foi a Ânima (ANIM3), que caiu 35,47%.

Além disso, outro grande destaque foi a Ser Educacional (SEER3) que acabou recuando 35,14%, enquanto a Movida (MOVI3) teve uma queda de quase 35%.

Outra small cap de destaque entre as quedas foi a Cogna (COGN3), com uma desvalorização de 31,9%. Fechando a lista, está Portobello (PTBL3), que caiu 31,13%.

Veja quais são as 5 small caps que mais caíram em novembro:

  • Ânima (ANIM3): -35,47%
  • Ser Educacional (SEER3): -35,14%
  • Movida (MOVI3): -34,95%
  • Cogna (COGN3): -31,91%
  • Portobello (PTBL3): -31,13%

Ânima

Mesmo após sua queda de 35,47%, a Ânima foi novamente recomendada pela Genial Investimentos.

A recomendação de “compra” da Genial para as ações da Ânima, ainda contam com um preço-alvo de R$ 9,48.

Os analistas da Genial apontam que a Ânima vem apresentando bons resultados do seu processo de integração, que se soma a um portfólio resiliente de Medicina com escolas com boas localizações e de marcas fortes.

Ser Educacional

As ações da Ser Educacional também foram um dos principais destaque de baixa entre as small caps.

A companhia teve um prejuízo líquido ajustado de R$ 30,4 milhões no terceiro trimestre de 2022 (3T22), e assim, reverteu o lucro líquido de R$ 7,5 milhões obtido no mesmo período do ano passado.

O lucro antes juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado da Ser Educacional foi de R$ 54,8 milhões no terceiro trimestre deste ano, apresentando uma queda de 19,4% na comparação com o 3T21.

Movida

As ações da Movida apresentaram uma forte queda de 35% no mês de novembro, após a divulgação dos seus resultados do 3T22.

A companhia obteve um lucro líquido de R$ 93,7 milhões no terceiro trimestre de 2022, representando uma baixa de 64% em relação ao mesmo trimestre do ano passado.

A empresa registrou um aumento das despesas financeiras, em meio a um mercado com juros mais elevados e se posicionou entre as maiores quedas de small caps de novembro.

Cogna

O crescimento dos juros futuros afetou o valution de algumas empresas, de modo que parte delas estão alavancadas, como a Cogna, por exemplo.

As ações da Cogna apresentaram uma baixa de cerca de 32% em novembro. Assim, sua cotação passou de R$ 3,29 para R$ 2,24 no mês.

Durante entrevista ao Infomoney, o CEO da Cogna, Roberto Valério, destacou que “a quantidade de informações é muito limitada. Lula falou diversas vezes sobre investimento em educação e retomada do FIES. Recebemos a notícia de maneira positiva porque o mercado precisa, há muitos brasileiros que gostariam de estudar e não tem condições, mas temos pouca informação sobre o tamanho do programa e as condições”.

Portobello

A Portobello teve um lucro líquido de R$ 52,5 milhões no terceiro trimestre de 2022 (3T22), com uma queda de 35,0% na comparação com o mesmo trimestre de 2021.

Após a divulgação de seus resultados trimestrais e essa queda relevante em seu lucro, as ações da Portobello registraram forte queda de mais de 31%, e apresentou um dos piores desempenhos de small caps em novembro.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/Lead-Magnet-1420x240-4.png

João Vitor Jacintho

Compartilhe sua opinião