Patrocinado por:

Santos Brasil (STBP3) dispara após guidance; BTG vê ‘muitas razões para estar otimista’

Santos Brasil (STBP3) dispara após guidance; BTG vê ‘muitas razões para estar otimista’
Santos Brasil. Foto: Pixabay

A Santos Brasil (STBP3) veio ao mercado na última terça-feira (6) com não uma, mas duas notícias positivas na visão dos analistas. Além de um guidance para 2021 acima do consenso, a companhia de logística firmou um novo acordo para prestação de serviços de operação portuária de contêineres com a Maersk, válido de 1º de abril a 31 de março de 2023.

Em fato relevante, a Santos Brasil disse projetar um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) entre R$ 400 milhões e R$ 450 milhões, isto é, um crescimento entre 89% e 112% em relação ao ano anterior.

A empresa também espera um aumento entre 12% e 34% para os investimentos (Capex) neste ano em relação ao ano passado, ficando entre R$ 250 milhões e R$ 300 milhões. Para o volume de movimentação do cais, a Santos Brasil espera atingir entre 1,2 milhão e 1,3 milhão de contêineres em 2021, indicando expansão entre 11% e 20% frente o ano anterior. O volume de movimentação, explica a empresa, corresponde à soma das operações de cais dos terminais Tecon Santos, Tecon Vila do Conde e Tecon Imbituba.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Video Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

“Vemos o guidance para 2021 como positivo”, avaliou o Goldman Sachs em relatório, “uma vez que confirma a capacidade da empresa de aumentar os preços.”

Acordo com Maersk

Em outro documento, a Santos Brasil informou ter concluído as negociações para um novo acordo com Maersk, maior cliente da empresa no Tecon Santos.

Na análise do BTG Pactual, embora parcialmente esperado pelo mercado, o contrato é positivo, com o preço ultrapassando “a mais otimista das estimativas do mercado”.

“A assinatura do contrato com a Maersk é um marco importante para a Santos Brasil, salientou o banco em relatório. “Proporciona melhor visibilidade das tarifas da Maersk, o que deve permitir à Santos Brasil melhorar a dinâmica de preços com todos os seus demais clientes.”

Cálculo de Victor Mizusaki, do Bradesco BBI, aponta para uma alta de preço do contrato de 50% a 106%, acima da expectativa do banco.

Segundo o BTG Pactual, tanto no mercado quanto no negócio, há “muitas razões para estar otimista”.

Por volta das 16h45, perto do fechamento, as ações ordinárias da Santos Brasil operavam em alta de 4,28%, a R$ 7,06.

Arthur Guimarães

Compartilhe sua opinião