Rússia inicia ação militar na Ucrânia com ataques no leste e sul do país; petróleo sobe a US$ 100

O presidente da Rússia Vladmir Putin anunciou, por volta das 23h30 (horário de Brasília, 5h30 manhã em Moscou) desta quarta (23), que o país iniciou uma ofensiva militar na região de Donbass, leste da Ucrânia. Segundo a agência Reuters, Putin falou em pronunciamento na TV que pretende “proteger a população de Donbass” contra ações de rebeldes e militares ucranianos que estariam atacando cidadãos russos no país”. Afirmou que os soldados ucranianos devem “voltar para casa” e que tropas russas começaram a atacar o país vizinho com bombardeio de aviões. O exército russo conta com 1 milhão de militares. O da Ucrânia tem 200 mil — e 250 mil foram convocados nesta quarta.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png

O governo ucraniano confirmou que o país está sendo atacado pela Rússia em dez cidades, no sul e no leste, além da capital do país, Kiev. Os alvos são instalações militares e, segundo a imprensa local, aeroportos.

O presidente da Ucrânia Volodymyr Zelensky relatou explosões em Kiev e em regiões no leste e sul do país. Equipes da CNN confirmaram que ouviram explosões nos arredores da capital. Imagens mostram forças militares russas na região de Donbass. O New York Times também relata bombardeios de aviões.

Putin declarou que foi autorizada uma operação militar nas províncias ucranianas de Donetsk e Luhansk, cuja independência Moscou reconheceu na segunda-feira (21). Essas duas províncias ficam na região de Donbass. O presidente disse que pretende “desmilitarizar” a Ucrânia, e “não ocupá-la”.

Mais cedo, o presidente Zelensky declarou que não abriria mão de nenhum território de seu país e que queria paz. Disse também que conversaria com Putin. A Ucrânia declarou nesta quarta estado de emergência e pediu que seus cidadãos na Rússia deixem o país, enquanto Moscou começava a esvaziar sua embaixada em Kiev. Os ucranianos estimam agora um ataque militar completo da Rússia.

Forças militares da Rússia atacam bases perto de Kharkov, nordeste da Ucrânia. Foto: Reprodução (Twitter)

Informações da inteligência dos Estados Unidos e do primeiro-ministro da Letônia davam conta de que o Exército da Rússia estava se movendo nesta quarta (23) em direção à região leste da Ucrânia, próxima das cidades de Donetsk e Lugansk, Há 190 mil soldados de prontidão na fronteira da Rússia com a Ucrânia, segundo agências de notícias.

O conselho de segurança da ONU estava, até 1h da manhã (horário de Brasília) em reunião de emergência. O presidente dos EUA Joe Biden disse que vai se reunir com os países do G7 antes de tomar providências sobre uma resposta à Rússia. Os americanos haviam dito que aumentariam as sanções econômicas caso a Rússia atacasse a Ucrânia. Biden disse que pretende proteger os países da Otan no leste europeu e que a Rússia “escolheu a guerra”.

Em meio aos relatos de início da guerra, o petróleo Brent bateu a marca dos US$ 100 pela primeira vez em oito ano. Bolsas de Hong Kong e Tóquio caem mais de 2%. Futuros das bolsas europeias despencam.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Sanções contra a Rússia

Entraram em vigor nesta quarta-feira sanções da União Europeia contra membros da câmara baixa do Parlamento Russo que votaram pelo reconhecimento das regiões separatistas da Ucrânia, informa a Reuters. As punições congelam os bens desses membros e proíbem viagens pelo território europeu.

Já o Reino Unido seguiu as medidas tomadas pelos EUA, ao anunciar restrições que impedem a Rússia de emitir novos títulos em seus mercados de capitais. A Alemanha, por sua vez, congelou a aprovação de um novo gasoduto russo.

Ontem (22), o presidente Joe Biden anunciou que cortou o governo da Rússia das finanças ocidentais. As sanções econômicas americanas têm como objetivo atingir duas instituições financeiras russas – os bancos VEB e PSB, incluindo 42 subsidiárias.

As instituições estão proibidas de negociar novos papéis da dívida pública russa no mercado de capitais do ocidente. “Isso significa que cortamos o governo da Rússia das finanças ocidentais. A Rússia não pode mais levantar dinheiro do Ocidente e não pode negociar sua nova dívida nos mercados americano e europeus”, disse Biden.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

Biden confirma sanção contra empresa responsável por gasoduto Nord Stream 2

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, confirmou nesta quarta-feira, 23, que os EUA vão impor sanções à empresa responsável pelo gasoduto Nord Stream 2 – que liga a Ucrânia à Rússia.

Em comunicado oficial da Casa Branca, Biden afirmou que “essa medida é outra parte de nossa parcela inicial de sanções em resposta às ações da Rússia na Ucrânia. Como deixei claro, não hesitaremos em tomar novas medidas se a Rússia continuar a escalar”.

Para Biden, Putin deu ao mundo um incentivo esmagador para se afastar do gás russo. “Quero agradecer ao chanceler Scholz por sua estreita parceria e dedicação contínua em responsabilizar a Rússia por suas ações”, destacou.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Embaixada pede que brasileiros não visitem províncias na Ucrânia

A Embaixada do Brasil na Ucrânia recomendou que brasileiros não viagem para as províncias separatistas Luhansk e Donetsk. A orientação foi divulgada por meio do perfil da embaixada no Twitter. “Aconselha-se aos cidadãos que já estejam nessas regiões que considerem deixá-las sem demora”, alertou a publicação.

Luhansk e Donetsk foram reconhecidas na última segunda-feira (21) como independentes pelo governo russo. Com a medida, as províncias não são mais reconhecidas como território ucraniano, o que abre espaço para a livre movimentação de tropas russas. O presidente Vladimir Putin enviou tropas aos locais, classificadas por ele como tropas de paz.

No Conselho de Segurança da ONU, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, condenou a decisão da Rússia. Segundo ele, a medida desafiou as normas e os princípios da lei internacional e a integridade da Ucrânia dentro de suas fronteiras internacionais reconhecidas.

Com Agência Brasil e Agência Estado 

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2021/09/960x136-1-1.png

Marco Antônio Lopes

Compartilhe sua opinião