Lojas Renner (LREN3) ainda não reestabeleceu e-commerce após ataque hacker

As Lojas Renner (LREN3), por meio de comunicado ao mercado, disse que as equipes “continuam trabalhando para restabelecer o e-commerce” após o ataque hacker que a varejista sofreu nesta quinta-feira (19).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home.png

Com o ataque hacker, os sistemas da Renner saíram do ar. A empresa destaca que todas as lojas físicas continuam abertas e operando, em atualização do comunicado divulgado anteriormente. Afirma ainda que os principais bancos de dados permanecem preservados.

No documento, a empresa diz que continua atuando de forma diligente para mitigar os efeitos causados. “As equipes permanecem mobilizadas, executando o plano de proteção e recuperação, com todos seus protocolos de controle e segurança e trabalhando para restabelecer todas as operações da companhia”.

No comunicado lançado ontem, a Lojas Renner ressaltou que faz uso de tecnologias e padrões rígidos de segurança, e que continuará aprimorando sua infraestrutura para incorporar cada vez mais protocolos de proteção de dados e sistemas.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

A companhia informou em fato relevante à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a invasão “criminosa que atingiu seu sistema de tecnologia da informação”.

Hacker pediu criptomoedas à Renner

De acordo com reportagem do site do Brazil Journal, um hacker se identificou como autor do ataque. Ele teria sequestrado dados de clientes da companhia.

O hacker pediu criptomoedas em troca dos dados roubados do sistema da Renner. Avisou que cometeu o sequestro de dados por dinheiro – na forma de criptmoedas – e ameaçou: se não for pago pela empresa, causará grave perda de dados. Não foi informado quanto o hacker pediu.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop-1.jpg

O ataque, segundo nota da empresa, “resultou em indisponibilidade em parte de seus sistemas e operação”. A Renner diz ter acionado protocolos de controle e segurança para bloquear o ataque e “minimizar eventuais impactos”.

“Neste momento, a companhia atua de forma diligente e com foco para mitigar os efeitos causados, com a maior parte das operações já restabelecidas”, explica a Renner “Foi verificado que os principais bancos de dados permanecem preservados.”

Cotação de LREN3

Atualmente, segundo os dados do pregão de quinta (19), cada ação ordinária da Renner custa R$ 39,45 – representando queda de 0,85% no intradia e 8,66% de desvalorização mensal.

Com informações do Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno