Radar: Marfrig (MRFG3) conclui aquisições, Petrobras (PETR4) negocia Polo Potiguar e Tenda (TEND3) tem queda em prévia

Radar: Marfrig (MRFG3) conclui aquisições, Petrobras (PETR4) negocia Polo Potiguar e Tenda (TEND3) tem queda em prévia
Marfrig (MRFG3) vai distribuir R$ 839 milhões em dividendos. Foto: Divulgação

Marfrig (MRFG3) comunicou nesta quarta (19), em documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que sua joint venture PlantPlus Foods concluiu os processos de aquisições de duas empresas estrangeiras.

Uma delas é a Sol Cuisine, empresa listada na Bolsa de Valores de Toronto – TMX – sob o código VEG. A outra é a Hilary’sempresa de capital fechado nos Estados Unidos.

O valor da operação, que havia sido anunciado em novembro do ano passado, foi de cerca de US$ 140 milhões. Do montante total de aquisição, a companhia capitalizou aproximadamente US$ 100 milhões, referente à sua participação na PlantPlus Foods (de 70%), e será pago de caixa próprio.

“As aquisições da Sol Cuisine e da Hilary’s, quando concluídas, aumentarão o portfólio de produtos e a capacidade para aprimorar as operações da PlantPlus Foods na América do Norte”, disse o comunicado da Marfrig.

A Sol Cuisine é uma produtora que tem apresentado rápido crescimento no segmento de proteína vegetal, com marca própria e private label, com presença nas principais categorias de pratos e aperitivos, de acordo com a Marfrig.

Os produtos da empresa são oferecidos por meio de plataforma de distribuição omnichannel estabelecida no Canadá, Estados Unidos e México.

Já a Drink Eat Well (DEW), mais conhecida como Hilary’s, produz alimentos à base de plantas e vegetais, livres de alérgenos, sem utilização de trigo, glúten, soja, laticínios, ovos, milho ou nozes, focados em refeições nutritivas.

O portfólio de produtos é composto por hambúrgueres e salsichas à base de plantas, que são distribuídos nos Estados Unidos.

As aquisições chegam para complementar o portfolio de produtos plant-based, da própria PlantPlus. No Brasil, a empresa oferece uma linha que é composta por hambúrguer, kibe, almôndega e carne moída, todos com composição 100% vegetal.

Além da Marfrig, veja as notícias que movimentaram o noticiário nesta segunda:

Tenda (TEND3) tem queda de 6% do VGV de lançamentos no 4T21

  • A Tenda (TEND3) divulgou a prévia operacional do quarto trimestre de 2021 nesta quarta (19). A construtora registrou R$ 836,2 milhões em valor geral de vendas (VGV) de lançamentos no trimestre, queda de 6% ante o mesmo período de 2020.
  • Comparado ao trimestre anterior, o número representa alta de 31,9% — no entanto, a base de comparação é fraca: no terceiro trimestre de 2021, a empresa teve VGV de R$ 633,9 milhões, em um período em que seu lucro líquido desabou 90,9%.
  • Segundo a prévia operacional da Tenda, a companhia lançou 17 empreendimentos entre outubro e dezembro de 2021.
  • Já as vendas líquidas do quarto trimestre tiveram queda anual de 2%, atingindo R$ 781 milhões. A velocidade de vendas (VSO) líquida foi de 31,9% no período, queda de 0,06 ponto porcentual sobre a mesma base de comparação.
  • Os distratos sobre as vendas brutas finalizaram em 13,83% no trimestre (R$ 125,3 milhões), aumento de 6,8 pontos porcentuais em relação ao quarto trimestre de 2020. A Tenda informou que o banco de terrenos totalizou R$ 12,4 bilhões, com avanço anual de 13%.

Braskem (BRKM5): ANP prorroga produção de combustível até o fim do ano

  • A diretoria da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou, nesta quarta-feira (19), a extensão, em caráter excepcional, do prazo para a Braskem (BRKM5) seguir com a sua produção de óleo combustível nas unidades em Camaçari (BA), Triunfo (RS) e Santo André (SP).
  • Com a decisão da ANP, o prazo da Braskem será estendido até 31 de dezembro de 2022, enquanto se aguarda a outorga das autorizações de que tratam a Resolução 852/2021 da agência.
  • A normativa em questão regulamenta o exercício da atividade de produção de derivados de petróleo e gás natural, seu armazenamento, comercialização e a prestação de serviço.
  • O relator foi o próprio diretor-geral da ANP, Rodolfo Sabóia, que destacou ainda não haver prazo para a outorga.
  • Deixar a autorização em aberto até a outorga das autorizações de que trata a Resolução 852 de 2021 se mostra muito vago no quadro atual de pandemia, por outro lado, estender até prazo muito curto não se mostra adequado considerando a complexidade do processo de regularização das centrais petroquímicas da Resolução e que inclui apresentação de documentos e vistoria”, disse.
  • Com o parecer de Sabóia, o relatório também foi aprovado pelos dois diretores que participaram da reunião, Marcelo Castilho e José Gutman.

Fiagro GCRA11 capta R$ 30 mi em oferta pública e abre cota para pessoas físicas

  • Em agosto de 2021, o Fiagro Galápagos Recebíveis do Agronegócio (GCRA11) estreou na bolsa de valores como o primeiro Fundo de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais. Naquele momento, a compra de cotas do Fundo estava disponível apenas para investidores qualificados – aqueles com mais de R$ 1 milhão investidos no mercado de capitais -, devido à oferta inicial ter sido restrita.
  • A partir desta quarta-feira (19), o Fiagro GCRA11 já pode ser negociado por investidores em geral. O Fundo concluiu sua segunda emissão de cotas, desta vez por meio da Instrução 400 da Comissão de Valores Mobiliários, que permite a negociação pública.
  • Primeiro Fiagro negociado na Bolsa brasileira, o GCRA11 captou R$ 50 milhões em sua primeira oferta ao mercado. Nesta segunda vez, a captação chegou a R$ 30,3 milhões. Ao todo, o Fundo atraiu 1.033  investidores, entre a primeira e segunda emissões, e tem 722.599 cotas em circulação.
  • O valor da segunda emissão foi de R$ 100,00, com prêmio em cima do seu valor patrimonial por cota, que está estimado em R$ 99,48. Já o patrimônio líquido do Galápagos Recebíveis do Agronegócio é de R$ 71,88 milhões.
  • Com a abertura para investidores pessoas físicas hoje, as cotas do Fiagro GCRA11 subiram 2%, valendo R$ 102,00.

Petrobras (PETR4) confirma negociação de R$ 1 bi pelo Polo Potiguar (RN) com 3R Petroleum (RRRP3)

  • Petrobras (PETR4) confirmou nesta quarta-feira (19) que negocia o processo de desinvestimento do Polo Potiguar. Segundo o comunicado, a transação envolve a 3R Petroleum (RRRP3), que apresentou a melhor proposta, em valor superior a US$ 1 bilhão.
  • O Polo Potiguar abrange um conjunto de 22 concessões de campos de produção terrestres e de águas rasas, incluindo a refinaria Clara Camarão, no estado do Rio Grande do Norte.
  • A companhia esclarece que a celebração da transação dependerá das aprovações corporativas, incluindo deliberação da Diretoria Executiva e do Conselho de Administração da Petrobras.
  • A expectativa é de que a transação seja submetida à apreciação dos órgãos corporativos ainda em janeiro.
  • “A Petrobras reforça o seu compromisso com a ampla transparência de seus projetos de desinvestimento e de gestão de seu portfólio e informa que as etapas subsequentes do projeto serão divulgadas tempestivamente”, declarou a estatal.

Lista de desistências de IPO aumenta: mais três empresas suspendem estreia

  • Mais três empresas desistiram de realizar a oferta pública de ações (IPO).
  • De acordo com as informações divulgadas nesta quarta-feira (19) pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), se juntaram à lista de desistentes a Coty, empresa de beleza e cuidados pessoais, a Cantu, plataforma de comércio eletrônico de pneus, e a Minas Gerais Participações, do setor imobiliário.
  • No início desta semana, a Fulwood também anunciou a desistência. A Cencosud Brasil também cancelou a oferta na semana anterior, por meio de sua controladora, uma varejista chilena com o mesmo nome. Porém, a empresa deixou claro que a operação pode ser retomada caso haja uma melhora nas condições de mercado.

United Airlines (U1AL34) tem prejuízo de US$ 646 milhões no 4º tri

  • A United Airlines (U1AL34) registrou prejuízo de US$ 646 milhões no quarto trimestre de 2021. O resultado, divulgado nesta quarta-feira, representou uma melhora em relação a igual período de 2020, quando o prejuízo foi de US$ 1,8 bilhão. A perda diluída por ação foi de US$ 1,99, abaixo da expectativa de US$ 2,09 pelo FactSet.
  • Às 18h51 (de Brasília), a ação da United Airlines caía 2,03% no after hours em Nova York.
  • A receita da companhia aérea americana foi de US$ 8,192 bilhões no período, contra US$ 3,142 bilhões no quarto trimestre de 2020.
  • Em comunicado, o CEO da United Airlines, Scott Kirby, afirmou que sua equipe vem lutando contra os obstáculos “sem precedentes” para, mais uma vez, superar os “novos e assustadores” desafios impostos pela covid-19. “Enquanto a Ômicron está impactando a demanda de curto prazo, continuamos otimistas com a primavera (do hemisfério norte) e animados com o verão e além”, disse.

Bradesco (BBDC4) emite R$ 500 milhões em bônus atrelados a metas ESG

  • Bradesco (BBDC4) fez sua primeira emissão de bonds atreladas a metas de sustentabilidade, segundo comunicado ao mercado de terça-feira (18).
  • Segundo o documento, trata-se de uma captação internacional e sustentável de dívida sênior, com objetivo de levantar US$ 500 milhões. Os papéis de renda fixa do Bradesco são para vencimento em cinco anos, com uma taxa de retorno de 4,375% ao ano.
  • A emissão seguiu as orientações do Framework de Finanças Sustentáveis do Bradesco. Em documento, o banco reforça que os recursos captados com a operação serão utilizados para o financiamento de iniciativas que atendam aos propósitos ESG (Ambiental, Social e Governança, na sigla em inglês) e estejam de acordo com os objetivos da instituição financeira.
  • A auditoria da operação ficou por conta do Sustainalytcs, empresa verificadora especializada em negócios sustentáveis.
  • “Com a emissão (…), o Bradesco reforça seu compromisso em ser um agente de transformação positiva na sociedade, em linha com seu propósito e compromissos institucionais firmados”, conclui o banco.

Da Marfrig ao Bradesco, essas foram as empresas que se destacaram hoje. Para ler todas as matérias clique aqui.

Victória Anhesini

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO