Ibovespa amplia queda, aos 132 mil pontos; Petrobras (PETR4) sobe, Azul (AZUL4) lidera baixas e bancões caem

No primeiro pregão de 2024, o Ibovespa, principal índice de ações brasileiras, opera a sessão em queda de 1,21% nesta terça-feira (2), aos 132.565 pontos. No mercado local, os investidores analisam o boletim Focus, após a aceleração do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) em dezembro. O dólar fechou com alta de 1,29%, cotado a R$ 4,8518.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-2.png

O Ibovespa hoje é impactado pelo desempenho das bolsas de Nova York, que operam sem direção única: Dow Jones avança 0,14%, S&P 500 cede 0,49% e Nasdaq tem queda de 1,55%.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da indústria dos Estados Unidos caiu de 49,4 em dezembro a 47,9 na leitura final de dezembro, informou nesta terça-feira, 2, a S&P Global. Analistas ouvidos pela FactSet previam 48,2. O resultado é inferior à leitura preliminar, também de 48,2. Com isso, o PMI da indústria dos EUA se distancia mais da marca de 50, que separa contração da expansão da atividade nessa pesquisa.

Os investimentos em construção nos Estados Unidos cresceram 0,4% em novembro de 2023, na comparação com outubro, a US$ 2,050 bilhões, informou nesta terça-feira, 2, o Departamento do Comércio. Analistas ouvidos pela FactSet previam alta de 0,45%. O dado de outubro foi revisto, da alta de 0,6% ante o mês anterior antes calculada para um avanço maior, de 1,2%.

O movimento reflete a expectativa de desaceleração de economias como a americana e a chinesa, o que pesa nos juros futuros e consequentemente em papéis ligados ao ciclo econômico.

“Se pudéssemos expurgar as ações da Petrobras (PETR4) e da Vale (VALE3) que têm o maior peso, a queda do Ibovespa seria bem maior”, disse Fernando Ferrer, analista da Empiricus Research, citando como exemplo o declínio acima de 1,11% do SMAL11, um ETF que engloba as principais small caps da Bolsa brasileira.

Neste sentido, há grande expectativa pela divulgação de indicadores e falas de membros do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), nesta semana, que poderão indicar quando se iniciará o processo de queda dos juros no país. Por ora, estima-se que a queda começará entre o primeiro e o segundo trimestres.

“Tem uma correção hoje apesar de a agenda não estar tão cheia”, diz Alan Soares, analista da Toro Investimentos. “Ao longo da semana sairão dados e informações importantes nos Estados Unidos como índices de serviços, de emprego como o payroll e ata da última reunião de política monetária.”

De todo modo, Ferrer não vê a queda desta terça do Ibovespa como uma tendência. “Naturalmente, após meses de novembro e dezembro em altas, é natural vermos alguma acomodação, algum ajuste. No geral, para o médio prazo, a tendência segue bastante positiva. 2024 pode ser um ano de bom desempenho para o Ibovespa”, estima o analista da Empiricus.

Como avalia a Guide Investimentos em relatório, os investidores estão sustentando um grau maior de cautela diante do forte desempenho dos ativos em novembro e dezembro, com destaque para a alta das taxas de juros nas economias centrais. Isso ocorre “ainda que as apostas continuem em torno de cortes de 1,5 ponto porcentual na Europa, EUA e Reino Unido para 2024.”

Apesar de ter caído 0,01%, aos 134.185,24 pontos na quinta-feira, 28, no último pregão de 2023, o Ibovespa subiu 22,8% no ano passado, a maior elevação desde 2019. Conforme a análise gráfica do Itaú BBA, os próximos objetivos do Índice Bovespa estão em 137 mil e 150 mil pontos – nível a ser perseguido ao longo de 2024.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/Lead-Magnet-1420x240-1.png

Ibovespa: boletim Focus e projeções de inflação

No Boletim Focus, a expectativa para a inflação anual em 2023 seguiu em 4,46%. Um mês antes, a mediana era de 4,54%. Para 2024, foco da política monetária, a projeção de IPCA mudou levemente, de 3,91% para 3,90%. Há um mês, estava em 3,92%.

Entre as maiores altas do Ibovespa, as ações da 3R Petroleum (RRRP3) sobem 0,84%. Do lado oposto, os papéis da Azul (AZUL4) cai 5,53% e a Gol (GOLL4) recua 3,90%.

A Petrobras (PETR4) lidera ganhos com as ações preferenciais em alta de 1,42%, cotadas a R$ 37,77. Movimento similar ocorre com as ações ordinárias da Petrobras (PETR3) que têm alta de 1,21%, a R$ 39,45. Hoje, o petróleo sobe sua cotação para acima de US$ 78 em Londres em repercussão aos acontecimentos no Mar Vermelho.

A Vale (VALE3) tem baixa de 0,02%, cotada a R$ 77,18. O contrato futuro do minério de ferro em Cingapura registrou alta de 2,38%, a US$ 141,75 por tonelada, e o contrato à vista sobe +1,96%, a US$ 143,00. Na bolsa chinesa de Dalian, a commodity está em alta de +2,93% , cotada a US$ 140,38.

A Azul (AZUL4) lidera quedas. Na lista das maiores baixas estão Alpargatas (ALPA4), com -5,83%, e Magazine Luiza (MGLU3), que recua 5,09%.

Os bancos caem em bloco:

  • Banco do Brasil (BBAS3): -1,64%
  • Itaú (ITUB4): -1,87%
  • Santander (SANB11): -1,24%
  • Bradesco (BBDC4): -2,28%

No mercado externo, o dólar tem alta no exterior, acelerando ganhos ante uma cesta de moedas, como euro e libra, enquanto o mercado aguarda a divulgação de novos indicadores econômicos dos EUA para obter informações sobre qual será o próximo movimento do Federal Reserve (Fed). 

As bolsas europeias iniciaram o ano com uma trajetória positiva, lideradas pelo setor de petróleo e gás. O Stoxx 600 europeu abriu com alta de 0,43%. Por sua vez, as bolsas asiáticas fecharam em desempenho misto, com as chinesas  em queda após dados da atividade manufatureira no país. 

Último fechamento do Ibovespa

No último pregão de 2023, o Ibovespa fechou próximo da estabilidade, com queda de 0,01%, aos 134.185,24 pontos, após quatro recordes seguidos.

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Vinícius Alves

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno