PetroReconcavo (RECV3) tem prejuízo de R$ 12,8 milhões no primeiro trimestre

PetroReconcavo (RECV3) tem prejuízo de R$ 12,8 milhões no primeiro trimestre
PetroReconcavo . Foto: Pixabay.

A PetroReconcavo (RECV3), que estreou na bolsa de valores brasileira no começo de maio, divulgou na noite desta segunda-feira (17) seu primeiro balanço trimestral como uma companhia listada, com prejuízo líquido de R$ 12,8 milhões, caindo 90,5% na comparação com o déficit do mesmo período do ano passado.

O menor prejuízo em parte é explicado pelo avanço da receita líquida, que cresceu 25,7% na base anual, para R$ 245,7 milhões. “Destacamos na receita líquida o incremento de 70,2% no faturamento do Distrito Potiguar, que passou de R$ 94,4 milhões no primeiro trimestre de 2020, para R$160,7 milhões no primeiro trimestre de 2021”, explica a PetroReconcavo em seu balanço.

No Distrito Potiguar, a média da produção bruta diária em barris de óleo ou equivalentes saltou 14,2%, saindo de 6,8 mil barris para 7,5 mil. No Distrito Recôncavo, porém, a produção bruta diária caiu 21,5%, ficando em 3,77 mil barris por dia, ante 4,8 mil no primeiro trimestre do ano passado. No total, a produção média bruta acabou recuando 0,5%.

Suno One: acesse gratuitamente eBooks, Minicursos, Artigos e Vídeo Aulas sobre investimentos com um único cadastro. Clique para saber mais!

“Optamos, como forma de preservar liquidez, por reduzir significativamente os investimentos no Distrito Recôncavo e por interromper a produção em alguns poços do distrito que apresentavam altos custos de produção”, explica a companhia.

Real desvalorizado impulsiona resultado da PetroReconcavo

A alta da receita é, então, justificada majoritariamente pelo avanço do preço médio do Brent, que ficou 21,2% mais caro, chegando a US$ 60,90, ante US$ 50,26 no primeiro trimestre de 2020. Além disso, apesar da alta de 12,7% do custo médio de produção por barril em reais, a desvalorização do câmbio acabou diminuindo o custo quando avaliado em dólares em 8,2%.

       

Os custos e despesas da PetroReconcavo avançaram 22,1% na base anual, chegando a R$ 175,2 milhões, justificado pelos maiores gastos com royalties e manutenções. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da companhia ficou em R$ 131,6 milhões, com alta de 25,% no ano. A margem Ebitda, porém, recuou 0,3 pontos percentuais, para 53,56%, impactada por algumas manutenções.

Por último a PetroReconcavo melhorou também o seu resultado financeiro, que ficou negativo em R$ 94,7 milhões, ante R$ 256,8 milhões no primeiro trimestre de 2020. “O crescimento nas receitas financeiras é reflexo da valorização da taxa de câmbio no período. A controlada Potiguar mantém saldo de aplicação financeira em fundo cambial”, explica a companhia.

A PetroReconcavo finaliza o intervalo de janeiro a março de 2021 com uma dívida líquida de R$ 812,7 milhões, caindo 8,6% na comparação com o mesmo período de 2020. O múltiplo de alavancagem financeira, medido pela relação entre dívida e Ebitda (DL/Ebitda) saiu de 4,51 para 1,62 na mesma base.

Vitor Azevedo

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO