Petróleo chega a cair 31% e registra a maior queda diária desde 1991

Devido ao insucesso das negociações entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e a Rússia sobre o volume de produção da commodity, os preços do barril Brent chegaram a cair 31% no mercado futuro asiático do último domingo (8). Essa é a maior queda diária desde a Guerra do Golfo, ocorrida entre 1990 e 1991.

Na última sexta-feira (6), as más notícias sobre as negociações entre os países da OPEP e a Rússia (grupo chamado de OPEP+), chegaram a derrubar o petróleo na maior queda diária em 11 anos. Por volta das 6h45 desta segunda-feira (9), o petróleo Brent era negociado a US$ 36,62, uma queda de 19,11%.

Devido à disseminação do coronavírus (Covid-19), a demanda por petróleo tem caído ao longo de 2020. Num cenário de queda no consumo da commodity, a Arábia Saudita, que detêm a maior e mais eficiente produção do mundo, tentam tirar participação de mercado de alguns países, como a Rússia.

Na última sexta-feira, era esperado que o cartel anunciasse um novo corte diário de 1,5 milhão de barris, como uma medida para conter o esfriamento econômico global. No entanto, a Rússia não aceitou.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Segundo afirmou o analista do banco BTG Pactual (BPAC11) por meio de um relatório, “a Rússia se opôs a cortes adicionais na produção porque seu orçamento é supostamente mais bem preparado para preços baixos do petróleo do que os restante dos países”.

Em resposta ao governo russo, a OPEP retirou todos os seus limites de bombeamento. Até a última sexta-feira, os contratos de petróleo acumulavam queda de mais de 30% neste ano.

Petróleo faz bolsas despencarem

As bolsas de valores da Arábia Saudita e dos demais países do Golfo despencaram na abertura do mercado no último domingo. Já afetada pelo novo coronavírus, a bolsa saudita caiu 6,5% na abertura. Da mesma forma, caíram as de Dubai (-8,5%), Kuwait e Abu Dhabi, ambas com retração de mais de 7%.

Coronavírus e Mercado Financeiro | Saiba quais oportunidades você pode estar perdendo com nossas análises exclusivas.

As ações da petroleira estatal saudita Saudi Aramco caíram pela primeira vez abaixo da precificação de sua oferta pública inicial de ações (IPO), a 32 riales (US$ 8,5), situando-se em 31,15 riales.

O temor pela instabilidade nas relações entre os maiores países exportadores de petróleo também impactam as bolsas de todo o mundo. No mercado futuro, o S&P 500, por volta das 7h, caía 4,96%, já a Euro Stoxx 50 recuava cerca de 6,7%.

Jader Lazarini

Compartilhe sua opinião