Resultados do 2T22

Petrobras pretende vender metade de suas refinarias em junho

Petrobras pretende vender metade de suas refinarias em junho
Petrobras (PETR4) lançará R$ 950 mi no balanço por pagamento ao Petros

A Petrobras anunciou na última terça-feira (16) que pretende vender 50% de suas refinarias. As vendas iniciarão em junho deste ano. Atualmente, a estatal possui 13 refinarias, com capacidade de processar 2,2 milhões de barris de petróleo por dia.

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, espera que com essa redução de sua participação no setor possa fazer com que a concorrência se sinta estimulada. Inclusive, esta medida também faz parte do plano de estratégia do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Para que as vendas sejam colocadas em práticas, é necessário que ainda nesse mês a estatal apresente seu plano ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Hoje a Petrobras concentra 99% do mercado de refino.

O Cade fará uma análise com o objetivo de criar uma competição no mercado, evitando a concentração das refinarias em um mesmo grupo privado. Além de evitar monopólio regional.

De acordo com o presidente da Petrobras, os planos de venda de ativos são ambiciosos. A estratégia principal é se concentrar nas atividades de exploração e produção, principalmente do pré-sal.

As vendas da refinarias já estão acertadas com o Tribunal de Contas da União (TCU).

Expectativa

A estimativa de arrecadação da Petrobras com a venda de refinarias está entre US$10 e US$ 15 bilhões. Com esse valor é possível reduzir as dívidas da estatal.

Os preços são livres desde 2002. Entretanto, a direção da estatal fica sujeita a decisão do governo. Para a Petrobras, o monopólio não é bom, pois quando o governo intervém, a empresa acaba perdendo por vender barato.

Quando os preços da estatal ficam acima dos preços internacionais, como já aconteceu sob o governo de Dilma Roussef, os grandes consumidores importam o combustível, e a Petrobras perde mercado.

Bolsonaro “não quer” intervir na política de preços

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, informou nesta última terça-feira que o presidente Jair Bolsonaro declarou que “não quer e não pode” intervir na política de preços da Petrobras.

Saiba Mais: Petrobras: Bolsonaro diz que ‘não quer’ e ‘não pode’ intervir na política de preços

Na última quinta-feira (11), a estatal anunciou um reajuste de 5,7% nos preços do diesel. Entretanto, Bolsonaro determinou que revogasse o aumento. Contudo, o cancelamento gerou temor de uma possível volta do intervencionismo na Petrobras, como ocorreu na gestão de 2015.

Petrobras pode indexar preço do frete ao valor do diesel

O ministro da Economia disse na última terça que a estatal poderá indexar o valor do frete ao óleo diesel. Dessa forma, a elevação dos preços do diesel poderia ser minimizado.

Saiba Mais: MERCADO Guedes diz que Petrobras pode indexar preço do frete ao valor do diesel

Os caminhoneiros estariam preparando uma nova greve em maio. Por esse motivo, de acordo com Guedes, os estudos foram “acelerados”.

Última Cotação

Na última cessão, a Petrobras (PETR4) fechou com uma variação positiva de 3,05% e uma cotação de R$ 26,72.

Vale a pena entrar no IPO do Uber? Clique aqui e confira o relatório gratuito

Poliana Santos

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO