Pátria compra braço de private equity da gestora Aberdeen por R$ 620 milhões

A gestora brasileira Pátria, listada na Nasdaq, adquiriu o braço de private equity da gestora global Aberdeen, sediada na Escócia, em um negócio de 100 milhões de libras (cerca de R$ 620 milhões).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Com isso, o Pátria passa a deter US$ 38 bilhões sob gestão. Esta é a quinta aquisição feita pela gestora brasileira desde sua listagem na Bolsa de Nova York, em 2021, quando tinha US$ 14 bilhões sob gestão.

Com a aquisição, o Pátria deve criar uma plataforma para negócios de private equity global. A nova vertical será chamada de Global Private Markets Solutions (GPMS) e será liderada por Marco D’Ippolito.

Dos 100 milhões de libras do negócio, 60 milhões de libras (R$ 370 milhões) devem ser desembolsados na conclusão da transação. Conforme comunicado encaminhado à Security and Exchange Comission (SEC, a comissão de valores mobiliários americana), esses recursos serão financiados por meio de linhas bancárias, com vencimento em 36 meses.

Outros 20 milhões de libras (R$ 123 mi) serão pagos em 24 meses após o fechamento da transação e os demais 20 milhões de libras em 36 meses, a depender de fatores relacionados ao desempenho.

O Pátria espera que o negócio, que depende de aprovação de órgãos de regulação, esteja concluído no primeiro semestre de 2024.

O braço de private equity da Aberdeen tem atualmente US$ 9 bilhões (R$ 45 bi) de ativos sob gestão e gera US$ 7,8 bilhões (R$ 39,4 bi) em Earning Assets Under Management (Feaum), equivalente ao total de capital administrado que gera comissões (receita).

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Mais aquisições da Pátria

O Pátria tem US$ 1,3 bilhão (R$ 6,5 bi) em Feaum, por meio de fundos de fundos que direcionam recursos da América Latina para mercados globais de private equity.

Com a aquisição, o Pátria diz que o Feaum deve escalar para mais de US$ 9 bilhões (R$ 45 bi).

Entre as demais aquisições de maior relevância feitas pelo Pátria estão, em 2021, a da gestora chilena Moneda, em uma estratégia de agregar clientes latino-americanos, vindos do Chile, Colômbia e Peru.

O Pátria adquiriu também a VBI Real State para renovar sua gestão no setor imobiliário e ainda as gestoras Igah e Camarupin, veículos de venture capital.

Com Estadão Conteúdo

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião