Ouro fecha em queda, pressionado por dólar forte após dados econômicos nos EUA

Ouro fecha em queda, pressionado por dólar forte após dados econômicos nos EUA
O contrato mais líquido do ouro fechou em baixa nesta sexta-feira (17), sendo pressionado pelo avanço do dólar. Foto: Pixabay

O contrato futuro de ouro mais líquido fechou em queda nesta sexta-feira (30), ajudado pelo fortalecimento do dólar no mercado internacional, após dados macroeconômicos que apontaram para consumo e inflação em alta nos Estados Unidos.

Com dólar em alta, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para dezembro encerrou a sessão com perda de 1,01%, a US$ 1.817,20 a onça-troy.

O contrato mais ativo anteriormente, com liquidação agendada para agosto, cedeu 1,01% hoje, a US$ 1.812,60 a onça-troy, ganho de 0,59% em relação à sexta-feira passada. No mês, o avanço foi de 2,36%

O índice de sentimento do consumidor dos EUA, elaborado pela Universidade de Michigan, caiu de 85,5 em junho a 81,2 na leitura final de julho, conforme informou a instituição hoje.

Mais cedo, o Departamento de Comércio americano havia revelado que a renda pessoal no país avançou 0,1% em junho ante maio, enquanto os gastos com consumo subiram 1%. Já o índice PCE, métrica preferida do Fed para inflação, teve alta de 4% na comparação anual do mês passado.

Os indicadores impulsionaram o dólar ante rivais, o que impôs pressão aos metais preciosos, ao torná-los mais caros e, dessa forma, menos atraentes.

Hoje, o dólar encerrou o pregão em forte alta de 2,57%, aos R$ 5,210 na venda. Apenas na sessão desta sexta-feira (30), a moeda norte-americana praticamente zerou a queda acumulada em toda esta semana, registrando uma variação negativa de 0,04%, depois de ter recuado 2,51% até a última quinta-feira (29).

Veja também: Dólar salta mais de 2% no pregão mas acumula queda de 0,04% na semana

Em relatório a clientes, o Commerzbank cita dados do Conselho Mundial de Ouro (WGC, na sigla em inglês). Mostram que a demanda e a oferta da commodity avançaram nos três meses encerrados em junho.

“O mercado global de ouro teve excesso de oferta na casa de 194 toneladas no segundo trimestre”, explica o documento.

Com informações do Estadão Conteúdo

Tags
Rafaela La Regina

Compartilhe sua opinião

Receba os destaques que irão movimentar o cenário econômico antes da abertura do mercado.

Inscreva-se