Com 5ª onda da Covid-19 na Europa, Alemanha deve decretar lockdown

Com 5ª onda da Covid-19 na Europa, Alemanha deve decretar lockdown
Merkel pressionou líderes das províncias para medidas restritivas após país aumentar casos diários drasticamente nas últimas semanas

A Alemanha deve decidir ainda nesta semana sobre possíveis restrições mais duras com relação à alta de casos da Covid-19. Com uma 5ª onda em curso, o país enfrenta as restrições mais duras e pode até optar por um bloqueio total em meio a infecções diárias recordes e à pressão crescente sobre os hospitais.

Olaf Scholz, chanceler da Alemanha, disse nesta quarta (24) que a situação de Covid é grave e que o país pressionaria massivamente sua campanha de vacinação, observando que “a vacinação é a saída para esta pandemia”.

Scholz afirmou que a Alemanha “deve tornar a vacinação obrigatória para certos grupos“, sem declarar quais grupos, enquanto o novo ministro das Finanças, Christian Lindner, lembrou que os alemães devem evitar todos os contatos desnecessários neste inverno “para preservar toda a nossa saúde nesta pandemia”.

O fato de Scholz ter escolhido lidar com a crise de Covid enquanto ele e seus novos colegas do governo anunciavam um projeto de acordo de coalizão na quarta-feira mostra onde estão as prioridades imediatas das autoridades.

O ministro da saúde alemão que está de saída do cargo, Jens Spahn, disse que até o fim do inverno toda a população da maior economia europeia está vacinada, recuperada ou morta.

Com a tensão sanitária aumentando, Angela Merkel pediu aos chefes dos 16 estados federais da Alemanha (que em grande parte foram livres para determinar suas próprias medidas sanitárias) que decidissem sobre regras mais rígidas até esta quarta (24).

Na terça (23), Spahn reiterou o pedido, acrescentando que mais espaços públicos devem ser restritos aos vacinados, aos recém-recuperados ou aos que tiveram um teste negativo – também conhecido como a “regra 3G”.

A partir da próxima quarta (1º) , as regras do 3G se aplicam a todos os alemães que vão ao local de trabalho ou acessem o transporte público.

Europa já tem primeiro lockdown decretado

Com novos recordes de infecções diárias, uma nova onda de Covid-19 na Europa preocupa as autoridades sanitárias. Em alta da tensão  em virtude da pandemia, nesta sexta (19) a Áustria anunciou lockdown, sendo a primeira nação do continente a realizar o fechamento durante a nova onda do vírus, considerada a 5ª pelos especialistas.

A medida da Áustria contra a Covid-19 deve começar a valer já na próxima segunda (22), vindo após o governo do país impor um confinamento aos que não foram vacinados contra o coronavírus.

Em declaração, o chanceler da Áustria, Alexander Schallenberg, disse que o novo lockdown deve durar ao menos 10 dias e que a partir do dia 1º de fevereiro de 2022 haverá uma exigência legal para que as pessoas se vacinem. “Não queremos uma quinta onda”, disse Schallenberg ao se encontrar com os governadores das nove províncias do país.

Continente é epicentro da 5ª onda da Covid-19

Com aumento das contaminações, na última quinta (18), a Alemanha registrou um total de 65 mil casos da Covid-19, um dia depois de a Holanda reportar mais de 20 mil novos casos – terceiro recorde consecutivo para o país.

Neste contexto, o continente europeu repensa a sua estratégia de combate ao coronavírus após o parecer da Organização Mundial da Saúde (OMS), que classificou a região como atual epicentro da pandemia.

Desta forma, após um relaxamento das restrições por causa do crescimento da vacinação, os países europeus podem voltar a adotar medidas sanitárias.

Com os recordes de casos diários quebrados pela Alemanha, o país pode obrigar a população a apresentar um comprovante de vacinação ou recuperação recente do vírus, ou um teste negativo para Covid-19. Esta informação foi apurada pela agência Reuters, que obteve um rascunho de uma reunião de autoridades alemãs.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião